Oi aceita proposta de 2,6 mil milhões de euros da Vivo, Claro e Tim para vender negócio móvel

O negócio ainda não está fechado, mas Vivo, Claro e TIM Brasil lideram a corrida pelo negócio móvel da Oi. A Vivo é uma holding do grupo espanhol Telefónica; a Claro é detida pela América Móvel do mexicano Carlos Slim; e a TIM Brasil é uma holding da Telecom Italia.

A Oi aceitou a proposta conjunta de 16,5 mil milhões de reais (2,6 mil milhões de euros) da Vivo, da Claro e da TIM para vender a sua unidade móvel, segundo o anunciado ao mercado de capitais na segunda-feira. A Oi atravessa um processo de recuperação judicial, sendo detida pela portuguesa Pharol em 5,51% do seu capital, através da Bratel.

A aceitação da proposta conjunta das três operadoras de telecomunicações é o ponto de partida para a alienação do negócio móvel da telecom brasileira. Vivo, Claro e TIM foram classificadas como “stalking horse“, de acordo com a nota veiculada pela Comissão de Valores Mobiliários (regulador do mercado de capitais no Brasil). Ou seja, as três operadoras partem na frente do leilão dos ativos do negócio móvel da Oi.

Assim, as três empresas compradoras terão “o direito de, a seu exclusivo critério, cobrir a oferta de maior valor que se seja eventualmente apresentada no referido processo competitivo [venda dos ativos do negócio móvel da Oi]”. Mas esse direito só poderá ser exercido sobre a melhor oferta, caso a proposta da Vivo, Claro e TIM “seja no mínimo 1% superior” ao valor das eventuais ofertas concorrentes que possam surgir.

Este acordo alcançado para a venda do negócio móvel terá ainda de ser votado em assembleia geral de credores para avançar, uma vez que a alienação destes ativos carece de um aditamento ao Plano de Recuperação Judicial que a Oi atravessa. A referida reunião de credores ocorre esta terça-feira, 8 de setembro.

Só com a autorização dos credores é que a empresa de telecomunicações brasileira poderá dar início ao leilão de venda do negócio móvel.

A confirmar-se a concretização desta operação, o negócio móvel da Oi – considerada a quarta maior telecom do Brasil – será absorvido pelas três maiores empresas de telecomunicações do mercado brasileiro. A Vivo, cuja quota de mercado é superior a 30%, é uma holding do grupo espanhol Telefónica; a Claro detém uma quota superior a 25% e é detida pela América Móvel do mexicano Carlos Slim; e a TIM Brasil, cuja quota de mercado é superior a 20%, é uma holding da Telecom Italia.

Além de estar a preparar a venda do seu negócio móvel a Oi também está a preparar terreno para vender a sua rede de fibra ótica e o negócio de televisão por assinatura.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários