Olga Tokarczuk e Peter Handke: quanto vão ganhar os novos ‘Nóbeis’ da Literatura

O prémio do ano passado é agora entregue depois de suspenso devido a um escândalo.

Os Prémios Nobel da Literatura de 2018 e 2019 foram atribuído à polaca Olga Tokarczuk e ao austríaco Peter Handke, respetivamente. A atribuição dos prémios foi feita quinta-feira pelo Comité do Nobel na Real Academia Sueca das Ciências, em Estocolmo.

O Nobel da Literatura, atualmente no valor de nove milhões de coroas suecas (cerca de 827 mil euros), é atribuído ao escritor que, nas palavras do testamento de Alfred Nobel, produza, “no campo da literatura, o trabalho mais notável numa direção ideal”.

George R. R. Martin, Maryse Condé, Margaret Atwood e Haruki Murakami eram alguns dos escritores apontados pelas casas de apostas como principais candidatos ao Prémio Nobel da Literatura de ambos os anos.

Este ano foram atribuídos dois prémios Nobel depois de, no ano passado, este galardão ter sido suspenso devido a um escândalo de abusos sexuais e crimes financeiros, que afetou a instituição responsável pela atribuição do prémio. Na altura foi dito que o prémio respeitante a 2018 iria ser atribuído em 2019, embora tenha chegado a ser considerada a possibilidade de o prémio só ser entregue em 2020, caso os problemas não fossem sanados antes da data da atribuição.

A polémica remonta a novembro de 2017, quando, entre a campanha de denúncias de abusos sexuais #MeToo, 18 mulheres revelaram, de forma anónima, no jornal diário Dagens Nyheter, abusos cometidos pelo dramaturgo Jean-Claude Arnault – ligado à academia através do seu clube literário e marido de um dos seus membros, Katarina Frostenson -, em instalações pertencentes à Academia Sueca.

Quando o escândalo surgiu, a Academia Sueca cortou a relação privilegiada que mantinha com o dramaturgo e pediu uma investigação externa, enquanto várias mulheres interpunham processos judiciais e o ministério público abria um inquérito, entre duras críticas do mundo cultural à instituição.

Ler mais
Recomendadas

Alimentos com mais açúcar, sal e gorduras banidos da publicidade para crianças

A publicidade a alimentos com elevado teor de açucar, sal e gordura como os chocolates, barras energéticas e refrigerantes, está proibida a partir de hoje num raio de 100 metros das escolas e em programas infantis de televisão e rádio.

PremiumComo vamos alimentar 10 mil milhões em 2050?

O JE promoveu no passado dia 16, a conferência “Alimentar o Futuro”, marcando o arranque da 10.ª edição dos ‘Food & Nutrition Awards’. O evento contou ainda com a Sustainable Society Iniciative e o apoio da Vieira de Almeida & Associados (VdA).

Açores: Marcelo “muito impressionado” pela destruição “massiva” do furacão ‘Lorenzo’

A passagem do furacão causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, o que colocou em risco o abastecimento ao grupo ocidental do arquipélago. O ‘Lorenzo’ provocou estragos na ordem dos 330 milhões de euros.
Comentários