OMS organiza equipa para investigar surgimento de novas pandemias

Entre os convidados estão especialistas de Wuhan que participaram no estudo feito pela OMS relativamente à origem da Covid-19.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sugeriu, esta quarta-feira, 26 especialistas para formar o seu novo Grupo de Aconselhamento Científico para as Origens de novos patógenos. Entre os convidados estão especialistas de Wuhan que participaram no estudo feito pela OMS relativamente à origem da Covid-19.

“É preciso compreender de onde vêm os novos patógenos é essencial para prevenir futuros surtos com potencial epidémico e pandémico e requer uma ampla gama de conhecimentos. Estamos muito satisfeitos com o calibre de especialistas selecionados”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, segundo a “Reuters”.

A OMS lançou o pedido de inscrição em agosto passado e afirmava que procurava as maiores mentes científicas para aconselhar sobre as investigações de novos patógenos de alta ameaça que passam dos animais para os humanos e podem desencadear a próxima pandemia.

O grupo da OMS conta com a participação de Marion Koopmans, Thea Fischer, Hung Nguyen e o especialista em saúde animal chinês Yang Yungui, que participaram na investigação conjunta este ano.

A origem da Covid-19 começou a ser investigada em 2020 e no começo deste ano foi revelado que a maior probabilidade seria de a doença ter tido surgido num animal. No entanto, outro estudo paralelo, realizado nos EUA, apontou que a Covid-19 poderá ter sido produzida num laboratório em Wuhan.

Desta forma, a OMS decidiu avançar com uma segunda fase do estudo sendo que alguns investigadores admitiram não lhes ter sido fornecida toda a informação necessária. Por sua vez, a China considerou que a OMS devia abrir o leque e investigar outros países, uma vez que um estudo demonstrou que já existiam casos da doença a circular no EUA antes de dezembro de 2019.

Como tal, a OMS decidiu avançar com uma segunda fase do estudo e ainda não foram reveladas novas informações sobre a origem da doença.

Recomendadas

Fesap exige respostas do Governo sob pena de avançar com formas de luta

A decisão foi tomada pela comissão permanente da FESAP, que considerou que o Governo tem de responder aos problemas dos trabalhadores da administração, porque a proposta de Orçamento do Estado para 2022 não o faz.

Região Norte lidera na vacinação contra a Covid-19 com 88% da população inoculada

Portugal caminha para os 8,9 milhões de cidadãos totalmente vacinados contra o vírus SARS-CoV-2, de acordo com o relatório semanal da Direção-Geral da Saúde.

Goldman Sachs vê EDP a fechar terceiro trimestre com lucros de 505 milhões

Resultados da elétrica nos primeiros nove meses do ano ficariam acima dos 420 milhões do período homólogo de 2020, estima a Goldman Sachs. Mas com o EBITDA a descer, para os 2,48 mil milhões de euros.
Comentários