Opensoft no mercado para contratar uma dúzia de engenheiros de software

A tecnológica portuguesa está a reforçar a equipa para fazer face ao crescimento dos projetos tecnológicos, nomeadamente nos PALOP.

A Opensoft quer reforçar a sua área técnica e contratar, pelo menos, 12 novos colaboradores para as posições de engenheiro de software, revelou José Vilarinho, o CEO da tecnológica, ao Jornal Económico.

Os candidatos deverão possuir um grau académico em Informática, preferencialmente mestrado e bons conhecimentos de algumas tecnologias chave, como Java, bases de dados, webservices, CSS e JavaScript. Conhecimentos em ‘frameworks’, como ‘Spring’, ‘Angular’ e ‘React’ são também valorizados, assim como conhecimentos na linguagem ‘Kotlin’.

“A par das competências técnicas, procuramos também colaboradores que gostem de trabalhar em equipa, com boas capacidades de comunicação e que sejam curiosos em relação a novas tecnologias e a diferentes abordagens ao desenvolvimento de software”, destaca.

O reforço da equipa servirá essencialmente para dar resposta aos novos projetos previstos para este ano, conforme explica o gestor. “Neste momento, estamos a colaborar com Cabo Verde e Moçambique em alguns projetos de transformação digital para melhorar os serviços aos cidadãos e otimizar os processos das instituições públicas. Acreditamos que no final de 2021, seja possível que 25% do nosso volume de negócios advenha do mercado internacional”.

O processo de recrutamento inicia-se assenta em fases: – entrevista de perfil, técnica e validação final – tem início mediante inscrição no site da empresa.

Recomendadas

Estados Unidos ponderam bloquear acesso ao TikTok

“Estamos certamente a analisar [essa hipótese]”, admitiu o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em entrevista à “Fox News”.

Mais de 70% das startups estão a operar normalmente e algumas antecipam expansão

Quase metade das empresas inquiridas num estudo da EY, SAP e Startup Portugal consideram que as medidas de apoio mais úteis neste momento seriam incentivos e isenções fiscais.

Lidl investe um milhão de euros em postos de carregamento para elétricos

Desde 2016 que há três postos de carregamento em lojas Lidl, mas este número vai subir para os 41.
Comentários