Optimal Investments de Jorge Tomé e José Maria Ricciardi quer lançar dois fundos

O grupo Optimal Investments através da sua participada Optime Investments – Sociedade de Capital de Risco, gere fundos de capital de risco e fundos de investimento alternativos especializados.

Cristina Bernardo

A Optimal Investments abriu no ano passado e já está a preparar o lançamento de dois fundos de private equity, soube o Jornal Económico.

A sociedade Optimal Investments abriu no ano passado pela mãos de Jorge Tomé, Miguel Geraldes, Luís Tenente, e a que se juntaram recentemente José Maria Ricciardi e Rafael Valverde (ex-Haitong). Trata-se de uma empresa de consultoria financeira independente que atua em operações de M&A (fusões e aquisições) e operações de angariação de fundos.

Segundo confirmou ao Jornal Económico José Maria Ricciardi, que se diz “muito entusiasmado com o novo projeto profissional”,  a Optimal já está a desenvolver atividade em Portugal através da assessoria em operações de fusões e aquisições, consultadoria de negócios internacionais e nos mercados de capitais, e prepara-se para lançar dois fundos, dos quais ainda não são conhecidos detalhes.

Segundo o gestor, o grupo Optimal Investments através da sua participada Optime Investments – Sociedade de Capital de Risco, gere fundos de capital de risco e fundos de investimento alternativos especializados.

A Optimal Investments celebrou uma parceria com a Arcano Partners, grupo financeiro independente espanhol líder nos serviços financeiros de banca de investimento e consultoria. A Arcano Partners tem, por sua vez, uma importante parceria com o Banco de Investimento norte-americano Jefferies. Este banco de investimento, com sede em Nova Iorque, será parceiro (mas não sócia) da Optimal Investments, detida na totalidade por Jorge Tomé, Miguel Geraldes, Luís Tenente, José Maria Ricciardi e Rafael Valverde.

A Optimal Investments opera igualmente como interface entre as empresas e os bancos na estruturação de financiamentos junto à banca nacional e internacional.

Ao Eco José Maria Ricciardi diz que “as pessoas devem continuar a fazer o que sabem”, quando questionado sobre o regresso à atividade de banca de investimento.

José Maria Ricciardi será partner/accionista da Optimal Investments e junta-se a Jorge Tomé; Luís Paulo Tenente e Miguel Geraldes, notícia que o Jornal Económico confirmou e que foi inicialmente avançada pelo jornal Público.

O jornal dizia que o ex-presidente do BESI, José Maria Ricciardi, e o ex-administrador do BESI, Rafael Valverde juntam-se a Jorge Tomé, ex-presidente do Banif e da CaixaBI, ao ex-director da Euronext Lisboa, Miguel Geraldes, e o ex-administrador do Banif, Luís Paulo Tenente na sociedade Optimal Investments, prestadora de serviços financeiros.

José Maria Ricciardi regressa assim às actividades de banca de investimento, depois de sair no fim de 2016 do Haitong Bank, através da Optimal Investments,  que desenvolve as actividades de banca de investimento, designadamente operações de Fusões e Aquisições, consultadoria de negócios internacionais e nos mercados de capitais.

 

Recomendadas

PremiumEugénio Rosa: “A substituição da administração do Banco Montepio é necessária”

“Sou totalmente contra uma administração que caia de paraquedas no Banco Montepio”, defende Eugénio Rosa, líder da lista C, candidata às eleição dos órgãos associativos do Montepio Geral.

PremiumPedro Corte-Real: “Há garantias do primeiro-ministro que o Montepio ia ser apoiado”

Pedro Corte-Real, que lidera a lista B para a presidência da Associação Mutualista Montepio Geral, defende que o Estado deve ajudar o Banco Montepio e diz que “esse apoio ainda não foi dado por falta de credibilidade das direções”.

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.
Comentários