Orçamento em duodécimos em 2021? “Isso é estar a complicar a vida do país”, avisa Costa

O primeiro-ministro avisou hoje os partidos parlamentares para os riscos de estar a gerir Portugal em 2021 sem um Orçamento do Estado aprovado e durante uma crise pandémica e económica.

Rodrigo Antunes/LUSA

O primeiro-ministro considera que gerir um orçamento em duodécimos vai ser “complicar a vida ao país”, deixando assim um aviso aos partido parlamentares para os riscos de chumbo do Orçamento do Estado para 2021.

“O país tem tudo a ganhar em ter um bom Orçamento do Estado, esta é uma boa proposta, que tem todas as condições para ser melhorada no debate da especialidade”, começou por dizer hoje António Costa.

“Numa situação em que temos uma crise sanitária tão grave, uma crise económica e social tão grave, acrescentar a dificuldade de gerir o pais em duodécimos, creio que é só estar a complicar a vida do país e o país não precisa de complicação e precisa de todos os instrumentos possíveis para poder agir”, afirmou  o governante durante o briefing do conselho de ministros que teve lugar este sábado, 21 de novembro.

A 29 de outubro, o Presidente da República lançou um alerta semelhante quando alertou para os riscos de gerir um país a duodécimos.

Se “num “num período normal já seria uma complicação funcionar em duodécimos”, então “num período de pandemia de duração indefinida e de crise económica e social é mais complicado” ainda”, disse o Presidente da República citado pela Lusa.

Marcelo Rebelo de Sousa espera que se o OE 2021 for aprovado a 26 de novembro possa depois chegar o “mais rápido possível” às suas mãos para o poder promulgar e no “dia 1 de janeiro estar em vigor”.

 

Ler mais

Relacionadas

Costa admite que Estado de Emergência ainda vai vigorar durante o período de natal

O primeiro-ministro disse que ficaria “muito surpreendido” se já não houvesse Estado de Emergência no natal. “Seria uma evolução absolutamente extraordinária da epidemia”, afirmou hoje.

Teletrabalho. Governo lança “ação inspetiva forte” às empresas na próxima semana

Segundo os dados da Google que consultou o Governo concluiu que ainda existe muita circulação pendular casa-trabalho nos concelhos com risco mais elevado. A ação visa que as empresas – onde o teletrabalho é possível – cumpram o atual regime.

Costa diz que a lei do Estado de Emergência permite ao PCP realizar o seu congresso

“Mesmo que o Governo quisesse, mesmo que a Assembleia da República quisesse, mesmo que o Presidente da República quisesse, nenhum de nos podia” proibir o congresso do PCP em Loures devido à lei em vigor, explicou hoje o primeiro-ministro.
Recomendadas

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

Há reunião plenária do Parlamento, para discutir autorização de renovação do estado de emergência. EDP apresenta plano estratégico e BCP divulga resultados.

Sector empresarial do Estado reduz dívida em 821 milhões de euros até setembro, segundo a UTAO

O relatório da UTAO também dá conta que o setor empresarial do Estado, no seu todo, viu reduzido o seu EBITDA (rendimentos antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) e o resultado líquido.

Como será a recuperação económica depois da Covid-19? Não perca o debate esta quinta-feira às 15h00 na JE TV

Qual o impacto da pandemia no tecido empresarial português e qual será a eficácia dos mecanismos de apoio à recuperação de empresas? Qual o papel da Banca na retoma? Estes serão alguns dos temas em debate no Observatório que conta com a parceria do Crédito Agrícola e que será transmitido no site e nas redes sociais do JE esta quinta-feira a partir das 15h00.
Comentários