Ordem dos enfermeiros pagou 36 mil euros para ter personagem em novela da SIC

“É uma forma de valorizar a profissão aos olhos da sociedade, que se enquadra numa das atribuições da Ordem”, defendeu Ana Rita Cavaco, em declarações ao JN. Enfermeiro que denunciou a situação critica a decisão: “Ainda têm o descaramento de enviar por e-mail a pedir aos Enfermeiros que vejam a telenovela?!”.

Foto: Cristina Bernardo

A nova novela do canal televisivo SIC tem uma personagem patrocinada pela Ordem dos Enfermeiros. A medida foi denunciada por Mário A. Macedo na rede social Twitter, acompanhado pelo comunicado enviado aos enfermeiros.

O valor paga pela Ordem dos Enfermeiros ao canal foi de 36.080 euros. A bastonária, Ana Rita Cavaco, disse ao ao ‘Jornal de Notícias’ que esta foi uma medida importante para a valorização da profissão.

“É uma forma de valorizar a profissão aos olhos da sociedade, que se enquadra numa das atribuições da Ordem”, explicou Ana Rita Cavaco, em declarações ao JN. “Normalmente, quando há personagens de profissão há sempre erros, e também demos apoio nessa parte técnica do que era a personagem e do que a personagem ia fazer”, sustentou a bastonária. “Obviamente, com mensagens para valorizar e dignificar os enfermeiros, que muitas vezes, nas novelas e ficções são mal retratados”, argumentou.

Os valores do contrato estão publicados no portal Base, que serve de divulgação dos contratos públicos, sob a designação de “Serviços de promoção e difusão da profissão em programa televisivo”.

No tweet, o enfermeiro Mário Macedo afirmou que “o dinheiro dos enfermeiros foi entregue à SIC para a protagonista da novela ser enfermeira”. “Ainda têm o descaramento de enviar por e-mail a pedir aos Enfermeiros que vejam a telenovela?!”, questionou o enfermeiro.

O enfermeiro realizou as contas e explicou que “com o IVA, o valor pago pelos enfermeiros chega aos 44.500 mil euros. Quarenta e quatro mil e quinhentos euros, para a protagonista de uma telenovela ser enfermeira”, sublinhou.

“Esta personagem foi patrocinada”, assume Ana Rita Cavaco. A personagem em questão é enfermeira num centro de dia. “O facto de ser uma enfermeira da área social foi precisamente o que nos ajudou a tomar a decisão no Conselho Diretivo. Porque esta é uma área, para os enfermeiros, que está muito esquecida e muito abandonada”, explicou Ana Rita Cavaco à publicação.

“Infelizmente estes [enfermeiros] chegam a levar para casa cerca de 800 euros líquidos”, alerta Ana Rita Cavaco. “É uma enfermeira que trabalha numa área que está um bocadinho esquecida. Estes enfermeiros queixam-se muito e com razão”, argumentou.

Ler mais
Recomendadas

Equipa de futebol brasileira vai jogar com camisolas manchadas de petróleo em protesto contra derrame

Através das redes sociais, o Bahia manifestou preocupação com o derrame de óleo que atingiu grande parte do litoral do Nordeste no Brasil. Junto com um manifesto que pede a punição dos responsáveis, o clube informou que a equipa usará no jogo contra o Ceará a t-shirt do equipamento tricolor com manchas de petróleo.

Federação Nacional dos Médicos exige redução do trabalho em urgência

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) aprovou hoje, em congresso, em Lisboa, uma grelha salarial com base num horário de 35 horas, e a diminuição do trabalho em urgência de 18 para 12 horas semanais no horário normal de trabalho.

Espeleólogos presos em gruta espanhola são da região do Porto

O grupo está preso na gruta de Cueto-Conventosa na região da Cantábria.
Comentários