Os desafios da advocacia na Madeira em 2021

Em 2021 esperamos que coabitem lado a lado estas duas realidades, a advocacia deverá estar particularmente vocacionada para a implementação de mecanismos de crescimento e proteção da atividade económica, com minimização dos riscos do mercado, e com a reestruturação empresarial na perspetiva de preservação dos postos de trabalho, com forte impacto na economia das famílias, que dessa forma também poderão atravessar situações de stress.

Cai o pano sobre 2020, e muitos poderão dizer, finalmente.

A advocacia teve um ano de adaptações, desafios e oportunidades, e 2021, cujos primeiros meses se antecipam uma continuação de 2020, não serão diferentes.

A economia parou em 2020, provocando a destruição de uma parte relevante do tecido económico madeirense. Foi por isso uma época de estagnação, com reflexos também na advocacia sob duas vertentes, a do profissional, que viu o seu mercado reduzir, mas também a do cliente, que passou a ter outras necessidades, mais viradas para a defesa da sua subsistência, do que para o crescimento económico.

Em 2021 esperamos que coabitem lado a lado estas duas realidades, a advocacia deverá estar particularmente vocacionada para a implementação de mecanismos de crescimento e proteção da atividade económica, com minimização dos riscos do mercado, e com a reestruturação empresarial na perspetiva de preservação dos postos de trabalho, com forte impacto na economia das famílias, que dessa forma também poderão atravessar situações de stress.

No meio judicial, a recuperação de créditos assumirá um relevo especial nesta busca de liquidez, surgindo os meios eletrónicos que permitem a participação dos advogados em diligências judiciais em qualquer ponto do país através de vídeo-conferência, como uma relevante oportunidade de ampliação do exercício da profissão, mas também de redução de custos para o cliente.

Antecipa-se uma advocacia combativa para fazer face aos desafios de 2021.

Ler mais
Recomendadas

Capitania do Funchal cancela avisos de mau tempo para mar da Madeira

Embora já não se registem as condições marítimas adversas, a capitania “recomenda aos proprietários ou armadores das embarcações que tomem as devidas precauções no assegurar das respetivas condições de navegabilidade”.

Funchal investe 380 mil euros em rede de água e saneamento básico no Bairro dos Moinhos

Serão substituídos cerca de 1600 metros de redes de conduta de água potável e cerca de 1400 metros de redes de saneamento básico. Além disso vai existir uma nova infraestrutura de redes de águas pluviais, uma nova rede de combate a incêndios, com a instalação de 9 marcos de incêndio de alto débito e duas bocas de incêndio.

Madeira quer estar incluída no Banco de Fomento até final do mês

O vice-presidente do executivo madeirense considerou que “se há uma ajuda comunitária à constituição de um banco de fomento para servir a nível nacional, não faz qualquer sentido as regiões não estarem lá representadas”.
Comentários