“Os motoristas não querem fazer greve, mas querem os problemas resolvidos”, diz presidente do SNMMP

O presidente do SNMMP, em declarações à comunicação social, em Aveiras, criticou ainda o porta-voz da ANTRAM, André Matias, classificando as suas intervenções de “incendiárias”.

O presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São bento, defendeu que os “motoristas não querem fazer greve, mas querem ver os problemas resolvidos” e garante que “os trabalhadores estão conscientes do que é uma requisição civil”, em declarações à comunicação social esta quarta-feira, 14 de agosto, em Aveiras.

Francisco São Bento falava aos jornalistas para explicar que os motoristas em greve estão cientes do que representa a requisição civil decretada pelo Governo. O dirigente sindical afirmou, ainda, que a possibilidade de quatro motoristas virem a ser detidos por incumprimento da requisição civil não desmobilizará os motoristas. “Nós como representantes do sindicato temos de acatar o que os associados querem fazer”, explicou.

Questionado  sobre a possibilidade de encetar novas negociações com a Antram e o Governo, Francisco São Bento desmistificou: “O sindicato tem demonstrado sempre abertura para tal. O pré-aviso foi apresentado com um mês de antecedência para que durante esse período o problema fosse resolvido. Não aconteceu, mas a nossa abertura para avançar para as negociações continua a ser a mesma”.

“Apelamos à ANTRAM e às instituições necessárias para que estas negociações avancem, os trabalhadores não querem estar a fazer a greve, querem é ver os problemas resolvidos”, acrescentou.

O presidente do SNMMP aproveitou o tempo de antena para criticar o porta-voz da ANTRAM, André Matias, classificando as suas intervenções de “incendiárias”.

“Os trabalhadores estão assim, tão incendiados, porque tem havido um representante da ANTRAM, o dr. André Matias, que constantemente está a transmitir ataques diretos ao sindicato e aos direitos destes trabalhadores”, concluiu.

Ler mais
Relacionadas
greve_motoristas_gasolina_gasóleo_bomba_1

Mais de 14% das bombas sem qualquer tipo combustível ao terceiro dia de greve

Segundo o site “Já não dá para abastecer”, no início da manhã desta quarta-feira, pelas 8h15, havia 545 bombas sem gasolina e 790 sem gasóleo.

Vieira da Silva desafia motoristas e patrões a negociar

“Chegou o momento das partes, provavelmente até teria sido melhor que tivesse chegado mais cedo, assumirem a responsabilidade por encontrar uma alternativa a este conflito e a alternativa tem que ser a negociação”, disse o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, em entrevista à “SIC Notícias”.
pedro_pardal_henriques_vice-presidente_SNMMP

Pardal Henriques foi convidado para integrar listas do Chega às legislativas

O porta-voz dos motoristas, Pedro Pardal Henriques, diz que está, no entanto, em conversações com o Partido Democrático Republicano (PDR) de António Marinho e Pinto.
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.

Covid-19: AHP disponibiliza 80 quartos para profissionais dos hospitais Curry Cabral e São José

Desta forma, foram disponibilizados para hospedar 80 profissionais de saúde as intalações das unidades hoteleiras Hotel My Story Tejo, na Praça da Figueira; Hotel Turim Ibéria, na Avenida 5 de Outubro; e Hotel Vip Berna, na Avenida António Serpa.
Comentários