Pacto de mobilidade empresarial para Lisboa atrai mais 20 empresas

Sobe para 77 o número de empresas que já aderiram à iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Lisboa em conjunto com o BCSD Portugal e o WBCSD. As empresas comprometem-se a estimular um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente.

O pacto promovido pela ‘World Business Council for Sustained Development’ em conjunto com o BCSD Portugal e a Câmara Municipal de Lisboa, já conta com 57 empresas a que se juntam agora mais 20. O objetivo deste pacto centra-se em melhorar a mobilidade sustentável na cidade de Lisboa através da adoção de novos comportamentos e soluções para empresas e colaboradores.

O pacto prevê que as empresas se comprometam a adotar medidas para que a cidade de Lisboa tenha um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente, conforme os princípios fundamentais da colaboração, do compromisso, da transparência e da segurança.

Alguns dos exemplos desta iniciativa são a criação de redes de partilha de bicicletas, a promoção de trabalho remoto, o aumento do número de veículos elétricos em frotas de uso privado e operacional, a instalação de balneários para promover a utilização da bicicleta com meio de transporte e a atribuição de passes mensais gratuitos de transporte coletivo para os colaboradores.

Segundo João Wengorovius Meneses, secretário-geral do BCSD Portugal, o pacto de mobilidade empresarial “fornece às empresas colaboração, inovação e metas ambiciosas”, e acrescenta: “esta nova vaga reforça o empenho das empresas em participar num projeto conjunto com outras entidades e a vontade de aderir a iniciativas que contribuem proactivamente para a melhoria da mobilidade em Lisboa”.

As 20 empresas que se juntam são: ALD Automotive; Apcer; Avenue; Axians; BMW Portugal; Delta Cafés; DXC Technology; Eureka Coworking; FREE NOW; Glovo; Grupo BEL; Jerónimo Martins; Kapten; Lime; Power Dot; PRIO; RFF & Associados – Sociedade de Advogados, SP, RL; Sociedade Ponto Verde; Trivalor; Wyze Mobility.

A Galp, o grupo Pestana e a Carris são algumas das 57 empresas que já tinham aderido ao pacto de mobilidade empresarial que tem como objetivo revolucionar a cidade de Lisboa.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários