PremiumPandemia impulsiona empresas de ‘software’

O número de projetos tem aumentado e a realidade do teletrabalho trouxe novos desafios, aproveitados da melhor forma por quem tem a missão de responder às necessidades dos seus clientes.

A pandemia de Covid-19 abalou a economia nacional e obrigou a que muitos portugueses tivessem de inventar formas de adaptar os seus negócios, algo que impulsionou o crescimento das empresas que desenvolvem software, mas que também tiveram de se moldar à nova realidade.

“Mudou quase tudo na forma como trabalhamos e nos relacionamos no ambiente corporativo. Mudou o modo como nos relacionamos com os nossos clientes, com o mercado e os diferentes stakeholders da organização”, revela Alexandre Rosa, CEO da Noesis, ao Jornal Económico (JE).

Entre as alterações introduzidas na Noesis estão os trabalhos requisitados e Alexandre Rosa garante que “os temas relacionados com o crescimento exponencial dos dados disponíveis nas organizações, provocado pelo aumento do tráfego nos canais digitais e e-commerce, além de questões relacionadas com o customer experience”, são áreas que estão em desenvolvimento desde a chegada da pandemia.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Marques Mendes: Governo está a demorar muito tempo a decidir sobre a TAP

O comentador político diz que a solução para a TAP no imediato vai passar por um empréstimo público ou um empréstimo privado com garantia de Estado, apontando que o Estado não vai integrar a Comissão Executiva, mas que os “poderes do Conselho de Administração serão reforçados”.

Luxair retoma voos para Faro com clientes luxemburgueses para hotéis do Grupo NAU

Cerca de 70 turistas do Luxemburgo ficaram alojados no o São Rafael Atlântico e o Salgados Dunas Suites, reabriram hoje, dia 31 de maio, as suas portas, e vão permanecer entre sete e 14 noites.

Centros comerciais vão reabrir amanhã à exceção da Área Metropolitana de Lisboa

Dos 94 centros comerciais associados da APCC, 35 são na Área Metropolitana de Lisboa, representando cerca de 50% do emprego deste subsetor de atividade.
Comentários