Pardal Henriques reage à acusação da PGR: “Nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado”

O porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) afirma que em abril o Departamento de Investigação e Ação Penal “respondeu-nos que não existia queixa nenhuma”.

Mário Cruz/Lusa

Pedro Pardal Henriques reagiu esta quinta-feira, 15 de agosto, ao facto de estar a ser acusado de burla por parte da Procuradoria-Geral da da República (PGR). “Nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado”, afirmou aos jornalistas à margem da greve dos motoristas de matérias perigosas.

“Essa notícia já era conhecida desde abril. Um órgão de comunicação social veiculou que existia uma hipotética queixa contra mim, sobre uma hipotética burla que nunca aconteceu, pelo menos da minha parte. O DIAP em abril respondeu-nos que não existia queixa nenhuma. Ontem vieram os órgão de comunicação social adiantar que já existe uma queixa confirmada pela PGR”, referiu o porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

Pedro Pardal Henriques diz que ainda não foi notificado e considera “impressionante como é que os órgãos de comunicação social sabem de uma queixa ainda antes de ter sido notificado”, acrescentando que alguém está a mentir. “Ou o DIAP estava a mentir ou a PGR agora está a mentir, ou os órgãos de comunicação social estão a mentir, ou uma quarta hipótese que é existir uma campanha montada para tentar desviar a atenção das pessoas para outras coisas que não têm nada a ver com o problema dos motoristas”.

Já sobre a greve dos motoristas Pedro Pardal Henrique salienta que “vamos continuar esta nossa guerra e lutar até ao fim. Estou completamente tranquilo, nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado. Continuaremos a lutar por esta causa que é justa e legítima”.

Relacionadas
pedro-pardal-henriques

Pardal Henriques é alvo de inquérito judicial, confirma PGR

“Confirma-se a existência de um inquérito, o qual se encontra em investigação no DIAP de Lisboa”, diz a PGR numa resposta escrita à agência Lusa sobre a existência de uma investigação a Pardal Henriques.
Recomendadas

Comunicações de suspeitas de branqueamento de capitais aumentam 43% em 2019

Comunicação de operações suspeitas no âmbito da lei de combate ao branqueamento de capitais aumentou 43% num ano. Das denúncias resultaram 247 inquérito.

Ministério da Justiça diz que nos últimos três anos foram contratados 25 assistentes para o Instituto de Medicina Legal

O Ministério da Justiça informou este domingo que, nos últimos três anos, foram contratados para o Instituto Nacional de Medicina Legal “25 assistentes”, e no ano passado aconteceram “as primeiras dez promoções na carreira” dos médicos desta especialidade.

Centenas manifestam-se em Londres contra extradição de Julian Assange

“Boris Johnson, tem vergonha”, cantaram os manifestantes ao passarem por Downing Street, a residência do primeiro-ministro britânico.
Comentários