Parlamento da Madeira aprova votos de pesar e solidariedade a afetados por ciclone Idai

Os votos foram apresentados pelo PSD e CDS-PP e estenderam-se aos povos de Moçambique, Zimbabué e Malawi.

DR

O Parlamento da Madeira aprovou um voto de solidariedade a Moçambique, Zimbabué, e Malawi, do PSD, e outro voto de pesar, do CDS-PP, pela tragédia em Moçambique, provocados pelo ciclone Idai.

“Manifestamos a nossa solidariedade em palavras, actos, alimentos e mantimentos e de donativos oficiais e particulares”, disse José Manuel Rodrigues do CDS-PP. Para Adolfo Brazão, do PSD, este gesto é importante acrescentando que se tem o “dever e obrigação” de ajudar naquilo que pudermos os povos afectados pelo ciclone.

“É impossível ficarmos indiferentes a tamanha catástrofe humanitário e ambiental”, disse Sílvia Vasconcelos, do PCP. “Os estragos provocados pelo ciclone fazem-nos reflectir sobre as alterações climáticas que muitos infelizmente tentam negar”, acrescentou Jaime Leandro, deputado do PS.

O JPP expressou através de Paulo Alves a sua solidariedade pelo povo e apelou a ajuda seja célere, enquanto que o BE referiu, por Roberto Almada, que “não tem palavras” para manifestar a consternação para com os povos que sofreram com este ciclone.

Relacionadas

Portugal envia militares, médicos e equipa da proteção civil para Moçambique

O anúncio foi feito hoje, em Lisboa, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), Augusto Santos Silva.

Moçambique: ONU pede 35 milhões de euros para ajudar vítimas do ciclone

“Fizemos um apelo temporário por volta de 40 milhões de dólares (35 milhões de euros), mas, provavelmente, vai aumentar por causa da segunda leva de cheias que, infelizmente, está a assolar o centro do país”, referiu Karin Manente, representante do PMA, em declarações em Maputo.
Recomendadas

Albuquerque confirma ciclo de diálogo após PS ter deixado de “tentar prejudicar” Madeira

O governante destacou que já se registaram avanços no Orçamento do Estado para 2020 em matéria da clarificação do financiamento do novo hospital da Madeira e da introdução de uma taxa variável que permitiu a redução de sete milhões de euros por ano no serviço da dívida da região.

Albuquerque garante que governo PSD/CDS vai cumprir legislatura até ao fim

Para Miguel Albuquerque, este primeiro período de governação conjunta tem “corrido muito bem”, porque o executivo, “acima dos interesses partidários, põe os da população que serve”.
Comentários