Parlamento Europeu: Quem são os deputados portugueses mais produtivos e assíduos?

José Manuel Fernandes (PSD), Miguel Viegas (CDU), António Marinho e Pinto (PDR) e João Ferreira (CDU) destacam-se no topo da tabela do MEP Ranking. Nas últimas posições estão Francisco Assis (PS), Nuno Melo (CDS-PP), Fernando Ruas (PSD) e Manuel dos Santos (PS).

Na presente legislatura, quem são os eurodeputados portugueses mais produtivos e assíduos? O MEP Ranking analisa quatro categorias gerais de atividades (relatórios, declarações, funções e assiduidade) e atribui pontos de acordo com critérios quantitativos e qualitativos. Entre os 21 eurodeputados portugueses sobressaem José Manuel Fernandes (133 pontos) do PSD, Miguel Viegas (98,7 pontos) da CDU, António Marinho e Pinto (98,5 pontos) do PDR, João Ferreira (95,8 pontos) da CDU, Ricardo Serrão Santos (77,4 pontos) do PS, Paulo Rangel (73,8 pontos) do PSD, Marisa Matias (63,1 pontos) do BE, Maria João Rodrigues (62,3 pontos) do PS, João Pimenta Lopes (53,7 pontos) da CDU e Ana Gomes (47,6 pontos) do PS, com as melhores classificações.

Na segunda metade da tabela figuram Carlos Coelho (47 pontos) do PSD, Pedro Silva Pereira (44,7 pontos) do PS, Carlos Zorrinho (42 pontos) do PS), Cláudia Monteiro de Aguiar (37 pontos) do PSD, José Inácio Faria (35,9 pontos) do MPT, Liliana Rodrigues (32 pontos) do PS, Sofia Ribeiro (29 pontos) do PSD, Francisco Assis (28,5 pontos) do PS, Nuno Melo (25,5 pontos) do CDS-PP, Fernando Ruas (25,5 pontos) do PSD e Manuel dos Santos (7,1 pontos) do PS, com as piores classificações no MEP Ranking.

Ao nível dos partidos, o PSD tem um total de 345,3 pontos, com uma média de 57,6 por cada um dos seis eurodeputados. Por seu lado, o PS tem 341,6 pontos no total, perfazendo uma média de 42,7 por cada um dos oito eurodeputados. Quanto à CDU, acumula 248,2 pontos, resultando na melhor média de 82,7 por cada um dos três eurodeptuados. Para estas contas não são considerados os partidos com apenas um eurodeputado – António Marinho e Pinto (PDR), Marisa Matias (BE), José Inácio Faria (MPT) e Nuno Melo (CDS-PP). De qualquer modo, apenas Marinho e Pinto conseguiria superar a média obtida pelos três eurodeputados comunistas.

 

Os políticos não são todos iguais

Pela positiva destaca-se José Manuel Fernandes, eurodeputado do PSD, com assiduidade de 98% em sessões plenárias (marcou presença em 256 de um total de 261) e de 93% em votações nominais (participou em 8411 de um total de 9004). No que respeita à produtividade, Fernandes tem 811 discursos realizados, 20 perguntas escritas, três moções apresentadas, duas declarações, 20 relatórios, 164 emendas de relatórios e 932 explicações de voto, entre outros dados estatísticos.

No extremo oposto encontra-se Manuel dos Santos, do PS, com assiduidade de 98% em sessões plenárias (marcou presença em 143 de um total de 145) e de 97% em votações nominais (participou em 5298 de um total de 5433). Neste caso, o problema não está na assiduidade, mas na produtividade. Santos tem apenas dois discursos proferidos, duas perguntas escritas, zero moções, zero declarações, zero relatórios, 98 emendas de relatórios e oito explicações de voto, entre outros exemplos de aparente subrendimento.

 

10 melhores:

José Manuel Fernandes (PSD): 133 pontos

Miguel Viegas (CDU): 98,7 pontos

António Marinho e Pinto (PDR): 98,5 pontos

João Ferreira (CDU): 95,8 pontos

Ricardo Serrão Santos (PS): 77,4 pontos

Paulo Rangel (PSD): 73,8 pontos

Marisa Matias (BE): 63,1 pontos

Maria João Rodrigues (PS): 62,3 pontos

João Pimenta Lopes (CDU): 53,7 pontos

Ana Gomes (PS): 47,6 pontos

 

11 piores:

Carlos Coelho (PSD): 47 pontos

Pedro Silva Pereira (PS): 44,7 pontos

Carlos Zorrinho (PS): 42 pontos

Cláudia Aguiar (PSD): 37 pontos

José Inácio Faria (MPT): 35,9 pontos

Liliana Rodrigues (PS): 32 pontos

Sofia Ribeiro (PSD): 29 pontos

Francisco Assis (PS): 28,5 pontos

Nuno Melo (CDS-PP): 25,5 pontos

Fernando Ruas (PSD): 25,5 pontos

Manuel dos Santos (PS): 7,1 pontos

Ler mais
Recomendadas

Oficial: Governo decreta fim da crise energética a partir da meia-noite

António Costa fala numa “vitória da democracia e da legalidade democrática” e que Portugal soube mostrar uma “grande maturidade”. Primeiro-ministro revela que a reposição da total normalidade dos combustíveis demorará dois a três dias.

Mexida no mapa eleitoral facilita reforço do PAN e entrada de novos partidos

Bastaria repetir o número de votos nas europeias para o PAN triplicar a presença na Assembleia da República e para que pelo menos a Aliança e o Livre elegessem deputados. Aumento do peso dos círculos de Lisboa e Porto facilita vida dos pequenos partidos.

Motoristas de matérias perigosas desconvocam greve ao sétimo dia mas deixam ameaças 

O sindicato admite nova paralisação a horas extraordinárias, fins de semana e feriados caso a associação patronal se mostrar “intransigente” na reunião de amanhã.
Comentários