Parlamento Europeu vai investigar transferências

Eurodeputada Ana Gomes vai pedir “toda a documentação” sobre transações com offshores, inlcuindo as realizadas através da Madeira.

A eurodeputada Ana Gomes vai solicitar que o Governo português remeta ao Parlamento Europeu “toda a informação” sobre transferências de Portugal para offshores desde 2011, incluindo as operações realizadas através da Zona Franca da Madeira.
Ana Gomes é vice-presidente da Comissão de Inquérito do Parlamento Europeu ao caso dos Panama Papers. Em declarações ao Jornal Económico, garante que todas as transferências para paraísos fiscais feitas a partir de Portugal serão solicitadas ao Governo para que possam ser apreciadas pela comissão de inquérito.

O eurodeputado Nuno Melo também deu indicações, à Renascença, de que irá pedir os elementos relativos às transações que não apareceram nas estatísticas entre 2011 e 2014. Ana Gomes promete ir mais longe. “Não são apenas os 10 mil milhões que não apareceram nas estatísticas. São todas as transferências entre 2011 e 2015. E não apenas as que foram feitas para o Panama, mas para todos os destinos. Vou pedir toda esta documentação”, disse, acrescentando que vai também solicitar as transferências relacionadas com a Zona Franca da Madeira. “Tenho a certeza de que ninguém as controlou”, acusa.

No mês passado, um relatório da eurodeputada sobre o Centro Internacional de Negócios da Madeira gerou polémica, ao opontar falhas de fiscalização sobre as empresas a operar na Zona FrancaMadeira e a criação de empregos fictícios naquele centro financeiro.

Gaspar e Maria Luís ouvidos
Em Portugal, as averiguações parlamentares sobre o apagão estatístico das transferências para offshores vão continuar, depois de Paulo Núncio e Fernando Rocha Andrade terem sido ouvidos esta semana, enquanto ex e atual secretários de Estado dos Assuntos Fiscais.

Ontem, o PS entregou um requerimento para audição dos Ex- Ministros das Finanças, Maria Luís Albuquerque e Vítor Gaspar, com “carácter de urgência”, argumentando que o Governo PSD/CDS “deixou de forma deliberada de fazer o escrutínio a transferências para offshores”.

Embora Núncio tenha argumentado que nunca abordou com Maria Luís ou Vítor Gaspar a publicação ou não das estatísticas, os deputados do PS lembram que, durante o Governo anterior, o gabinete dos ex-ministros das Finanças foi confrontado com essa falha pelo Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português. “Os titulares das finanças e o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sabiam, portanto, que não estavam a ser cumpridos os deveres de publicitação”, argumenta o PS, que quer perceber se a “ocultação deliberada se cingiu à esfera do Ministério das Finanças, quem são os emitentes destas transferências e quem são os contribuintes que poderão não ter cumprido com as suas obrigações fiscais”.

Ler mais
Recomendadas

Da amnésia nas CPIs à dimensão do movimento #MeToo em Portugal. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Sporting CP. Plantel valorizou 21% esta época. Entrada direta na Champions rende 23 milhões

O talento da formação foi uma das grandes apostas do Sporting CP para a presente temporada, algo que suscitou desconfiança por parte dos analistas do futebol, por considerarem que o “fosso” para os rivais era demasiado grande para ser combatido com jogadores jovens. Mas Rúben Amorim, também ele um jovem treinador, não só discordou de tais afirmações, como colocou em prática aquilo que sempre foi a estratégia dos ‘leões’ desde a criação da Academia, em 2002.

5G: Leilão segue no 83.º dia com propostas dos operadores a somar 298 milhões de euros

As propostas feitas pelos operadores no leilão 5G somaram, esta terça-feira, 298 milhões de euros, no 83.º dia de licitação principal, pela segunda vez consecutiva com “sete rondas”, de acordo com o regulador Anacom.
Comentários