Paschal Donohoe leva a melhor perante Nadia Calviño e é eleito presidente do Eurogrupo

Mário Centeno passa a pasta ao irlandês, que assume funções na segunda-feira, mas a primeira reunião sob a sua presidência apenas terá lugar em setembro. A eleição desta quinta-feira decorreu de forma eletrónica e secreta. No final da reunião, o ministro das Finanças de Malta agradeceu em nome do grupo o trabalho do ex-homólogo português ao longo dos últimos dois anos e meio.

O ministro das Finanças da Irlanda, Paschal Donohoe, foi eleito esta quinta-feira presidente do Eurogrupo na segunda volta, sucedendo a Mário Centeno na liderança do grupo informal dos titulares das finanças da zona euro. Numa disputa com a espanhola Nadia Calviño e o luxemburguês Pierre Gramegna, o irlandês levou a melhor para o mandato de dois anos e meio, face à homóloga espanhola, também apontada como uma das favoritas há vários meses.

“O Eurogrupo elegeu hoje Paschal Donohoe, ministro das Finanças e da Despesa Pública & Reformas da Irlanda, como presidente do Eurogrupo, de acordo com o protocolo 14 dos tratados da União Europeia”, anunciou o grupo em comunicado, após a reunião que arrancou às 14 horas de Lisboa.

Paschal Donohoe diz-se “profundamente honrado” e “ansioso” em trabalhar com todos os “colegas do Eurogrupo nos próximos anos para garantir uma recuperação justa e inclusiva para todos, à medida que enfrentamos os desafios futuros com determinação”, escreveu numa publicação no Twitter.

A eleição desta quinta-feira decorreu de forma eletrónica e secreta, mas era necessária uma vitória por maioria simples. Nenhum dos candidatos conseguiu obter os 10 votos necessários logo na primeira votação, pelo que foi necessário proceder a uma segunda volta, na qual Pierre Gramegna só já defrontou Nadia Calviño, que era apoiada por Portugal, França, Itália e Alemanha.

O vice-presidente da Comissão Europeia Valdis Dombrovskis já se manifestou e parabenizou o ministro das Finanças da Irlanda, que assumiu funções em junho de 2017. “Está a assumir o cargo de capitão num navio que enfrenta condições de tempestade, mas estou convicto de que sob a sua hábil administração, o Eurogrupo irá executar e tomar as decisões rápidas e decisivas que precisamos neste momento”, disse numa publicação no Twitter.

Nadia Calviño, que viu a vitória fugir-lhe na segunda volta também já parabenizou o adversário, garantindo estar expectante para trabalharem em conjunto com o objetivo de alcançarem “uma recuperação robusta que não deixa ninguém para trás”.

O sucessor de Mário Centeno assume funções na segunda-feira, mas a primeira reunião sob a sua direção apenas está prevista para setembro.

Mário Centeno anunciou em junho que não se iria recandidatura a um segundo mandato, ao abandonar o cargo de ministro das Finanças de Portugal e candidataram-se ao lugar os três ministros, que acolheram diferentes apoios dos países europeus.  O (agora) candidato a governador do Banco de Portugal tinha sido eleito presidente do Eurogrupo a 4 de dezembro de 2017, sucedendo a Jeroen Dijsselbloem, numa disputa contra o luxemburguês Pierre Gramegna na segunda volta, da qual se sagrou vencedor, depois da desistência da Letónia e da Eslováquia.

Tinha como desafios no mandato de dois anos e meio proceder à avaliação da implementação de reformas estruturais nos Estados-membros, bem como garantir políticas orçamentais sólidas e acompanhamento da situação orçamental da área do euro no seu conjunto, mas propôs-se a avançar na reforça da zona euro, quando começou a exercer o mandato a 12 de Janeiro de 2018. A reforma da zona euro não foi alcançada, mas os últimos meses de Centeno na Europa ficou marcado pela aprovação pelo Eurogrupo – após muitas negociações – de um pacote de apoio à economia no contexto da crise.

Segundo o porta-voz do Eurogrupo, numa publicação no Twitter, o mais antigo ministro do Eurogrupo, Edward Scicluna (Malta) fez um discurso de agradecimento em nome do grupo ao trabalho de Mário Centeno ao longo dos últimos dois anos e meio.

(Atualizado às 18h56)

Ler mais

Relacionadas

Da Irlanda para a Europa: Paschal Donohoe sucede a Centeno na presidência do Eurogrupo

Paschal Donoe é o quarto presidente do Eurogrupo depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker (2005-2013), do holandês Jeroen Dijsselbloem (2013-2018) e o português Mário Centeno (2018-2020).
Recomendadas

PremiumQueda da população ativa pode impedir recuperação económica rápida

A taxa de desemprego desceu no segundo trimestre, mas o impacto da pandemia no turismo e o aumento da concorrência global na era do teletrabalho preocupam os especialistas consultados pelo JE.

Estigma com produtos da China e quebra de turistas deixam restaurantes chineses em crise

Os restaurantes chineses sofrem mais quebras no negócio do que os restaurantes nacionais devido ao estigma associado a produtos da China, país onde o novo coronavírus foi detetado pela primeira vez, e porque o turista asiático deixou de visitar Portugal.

Covid-19: Direção do consumidor emite quatro alertas no mesmo dia sobre máscaras

Quatro modelos de máscaras com insuficiente retenção de partículas no material filtrante foram na semana passada, num só dia, motivo de alertas da Direção-geral do Consumidor (DGC) e sistema europeu de alerta rápido para produtos não alimentares (Rapex).
Comentários