Segurança Rodoviária recomenda que passadeiras LGBT sejam removidas

“Uma vez que a ‘marca’ aplicada em Campolide se encontra em desconformidade com o Regulamento de Sinalização do Trânsito, não produzindo assim qualquer efeito jurídico, nem garantindo condições de segurança, a ANSR recomendou à entidade gestora da via a sua remoção”, informa o comunicado

© DR

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) recomendou à Junta de Freguesia de Campolide que remova as duas passadeiras com as cores do arco-íris que foram pintadas na noite de domingo para segunda-feira.

Em comunicado a ANSR considera que ”nos termos do Regulamento de Sinalização do Trânsito (RST), os sinais de trânsito e as marcas rodoviárias devem obedecer às características definidas no que respeita a formas, cores, inscrições, símbolos e dimensões, bem como aos materiais a utilizar e às regras de colocação”.

“Uma vez que a ‘marca’ aplicada em Campolide se encontra em desconformidade com o RST [Regulamento de Sinalização do Trânsito], não produzindo assim qualquer efeito jurídico, nem garantindo condições de segurança, a ANSR recomendou à entidade gestora da via a sua remoção”, informou hoje à agência Lusa a entidade responsável pela segurança rodoviária.

A recomendação endereçada à Câmara de Lisboa surge após a Junta de Freguesia de Campolide ter pintado, na madrugada de segunda-feira, duas passadeiras de peões pintadas com as cores da causa LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgéneros e Intersexo), anunciando a intenção de pintar mais três. A iniciativa pretende assinalar o Dia Internacional de Luta contra a Homofobia, Transfobia e Bifopia, na sexta-feira, 17 de maio.

Relacionadas

Afinal, Lisboa já tem uma passadeira LGBT. Autarcas socialistas interpretam a lei de forma diferente

A proposta que foi inicialmente apresentada pelo CDS para as passadeiras de Arroios acabou por ser aplicada em Campolide. O presidente da junta local (do PS) nega qualquer ilegalidade no ato, a razão usada pela autarca do PS em Arroios para chumbar a proposta do CDS. Vereador do PSD já criticou a iniciativa: “A comunidade LGBT merece mais que este folclore e o símbolo da esperança não é para ser pisado”.

Autor de proposta de “passadeira arco-íris” sai do CDS-PP

Vítor Teles anunciou desfiliação após comunicado de Assunção Cristas e do presidente da concelhia de Lisboa que se demarcavam da iniciativa destinada a assinalar o Dia Mundial de Luta contra a Homofobia e Transfobia.

Passadeiras arco-íris para homenagear comunidade LGBTI já não avançam em Lisboa. Razão? Medida é ilegal

A presidente da junta de freguesia de Arroios disse que a medida aprovada “é ilegal”, pois as passadeiras têm de ser brancas. A medida foi aprovada de forma unânime na assembleia da junta de freguesia de Arroios.
Recomendadas

Hoje há debate quinzenal com o primeiro-ministro sobre políticas ambientais e de valorização do território

Na agenda parlamentar de hoje destacam-se também o debate preparatório do Conselho Europeu e o debate com a participação do Governo sobre os instrumentos de governação económica da União Europeia. A próxima reunião do Conselho Europeu vai realizar-se nos próximos dias 20 e 21 de junho, para tomar decisões sobre as nomeações para o novo ciclo institucional e para adotar a Agenda Estratégica 2019-2024.

PS quer lançar campanha nacional sobre “qualidades” e “benefícios” do consumo de leite

Grupo Parlamentar do PS apresentou projeto de resolução que insta o Governo a desenvolver uma “campanha de informação sobre as qualidades do leite e dos seus benefícios para a saúde”. Deputados socialistas criticam “bebidas apresentadas como ‘alternativas’ ao leite e que utilizam de forma ilegal a denominação de ‘leite'”.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.
Comentários