Paulo Soeiro de Carvalho vai liderar o mais antigo MBA do país

ISEG continua a apostar forte no seu MBA e ambiciona transformá-lo numa “experiência de formação executiva visonária”.

DR

A 37ª edição do MBA ISEG terá início em setembro próximo e já com um novo diretor executivo: Paulo Soeiro de Carvalho, que sucede a Jorge Gomes. Na presidência do Conselho Estratégico do programa estará Jorge Marrão, partner da Deloitte.

Professor associado com doutoramento em Lyon, Paulo Soeiro de Carvalho detém vasta experiência profissional nas áreas de empreendedorismo, inovação e estratégia, incluindo projetos em empresas como a Bosch, Brisa, Celfocus, EDP, Fiat, GALP e Sonae, além da Direção de Economia e Inovação da Câmara Municipal de Lisboa e a vice-presidência da Lispolis.

O MBA do ISEG é o mais antigo do país e o único da Universidade de Lisboa, contando com mais de mil profissionais formados desde a sua criação, em 1984.

Acreditado pela AMBA, o programa é há muito uma grande aposta da centenária escola do Quelhas, que Clara Raposo, a presidente, quer reforçar. “Queremos transformar o MBA do ISEG numa experiência de formação executiva visionária, que seja inovadora e competitiva, não apenas em Portugal, mas também a uma escala internacional”, afirma.

Recomendadas

PremiumPedro Santa Clara abre escola digital de vanguarda

Na escola 42, não há professores, nem avaliação, mas as aulas são presenciais. Os alunos não pagam. O primeiro curso arranca em fevereiro de 2021 e as candidaturas já estão abertas. O Jornal Económico foi conhecê-la.

Ensino Superior destina 7% das vagas para emigrantes e familiares

O concurso nacional de acesso ao ensino superior, cuja primeira fase arranca a 7 de agosto, tem 3.599 vagas para emigrantes, disponibilizadas por 107 instituições em cerca de 5.000 cursos.

CDS-PP pede explicações ao Governo sobre abandono escolar: “Vai seguir as recomendações do Tribunal de Contas?”

O Tribunal de Contas diz que não é possível conhecer os reais números do abandono escolar em Portugal, devido a fragilidades no sistema de recolha de dados e de monitorização, lacunas que aconselha a resolver. A deputada Ana Rita Bessa quer ministro Brandão Rodrigues no Parlamento.
Comentários