Payper afirma que portugueses podem poupar 645 milhões por ano em energia

A aplicação, que foi considerada uma das cinco mais promissoras em Portugal, afirma que caso mais portugueses comparassem tarifários de energia e alterassem para o mais apropriado a poupança global poderia chegar aos 645 milhões de euros, depois dos seus utilizadores terem verificado reduções de 163 euros por ano, em média.

Christian Charisius/Reuters

O Payper, aplicação e plataforma online que permite a comparação de preços nos mercados da energia, gás e telecomunicações, afirma que, no último ano, as poupanças geradas pelos seus utilizadores foram, em média, de 163 euros ao ano, o que resulta num possível aforro de 645 milhões ao ano em termos globais, como salienta a nota de imprensa da companhia que apresentou estes dados.

A aplicação, que foi considerada uma das cinco mais promissoras em Portugal no ano de 2020, destaca que, num ano, conseguiu gerar poupanças de 849 mil euros em 96.500 utilizadores.

“Se existem atualmente, segundo a DGEG, cerca de 5,5 milhões de clientes residenciais domésticos em Portugal e se considerarmos que cerca de 72% destes utilizadores não mudaram de comercializador nos últimos anos, e considerando uma poupança média de €163 anuais por utilizador, atualmente as famílias portugueses podem poupar cerca de €645 milhões todos os anos, se optarem por mudar para um comercializador de eletricidade ou gás, com melhores condições para o seu tipo de consumo”, explica Nuno Costa, analista de dados do Payper.

A empresa refere ainda que 52% dos seus utilizadores são da EDP Comercial, 14% da Galp, 8% da Endesa e 6% da Iberdrola, com 11% a encontrarem-se ainda no mercado regulado. Além disso, o Payper levou também 29% dos seus utilizadores a reduzirem a potência elétrica contratada em casa, o que representou 41 euros de poupança anual média.

Recomendadas

CAP contesta medidas sobre pagamentos e lamenta posição do Governo

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) contestou hoje as medidas sobre os pagamentos diretos para 2022, acusando o Ministério da Agricultura de desprezar “um leal e correto procedimento de consulta”, uma vez que estas não foram discutidas.

Confederação do Comércio e Serviços aplaude as novas medidas

Em comunicado, a entidade registou ainda “como positivo que a avaliação do nível de risco se baseie no critério da taxa de vacinação da população, ultrapassando as deficiências manifestas que a chamada ‘matriz de risco’ já evidenciava”.

Ramada dispara lucros semestrais para 6,2 milhões de euros

O resultado líquido consolidado registado no primeiro semestre de 2021 no valor de 6,17 milhões, apresentou um crescimento de 143,2% face ao resultado líquido do período homólogo do ano anterior.
Comentários