PCP pede a PSD que “não atire areia para os olhos” em termos de autonomia na Madeira

Os comunistas denunciaram os “vetos de gaveta”, realizados pelo PSD, na Madeira, entre os quais a extensão do serviço das Finanças ao Caniço, e a adaptação de legislação nacional para a gratuitidade dos manuais escolares e a entrada gratuita nos museus.

Durante o plenário da Assembleia da Madeira o PCP criticou a República lamentando a postura que tem tido com a Madeira, em dossiers como o da mobilidade, mas deixou também um recado ao PSD no sentido de “não atirar areia para os olhos” em assuntos como a autonomia.

“Na República, na proposta para votação em plenário o PSD votou contra a proposta da mobilidade em sede de comissão”, referiu Sílvia Vasconcelos, deputada do PCP, durante a sessão plenária que se está a realizar na Assembleia Legislativa da Madeira.

A deputada comunista aludiu ainda aos “vetos de gaveta”, denunciados pelo PSD realizados pela República, mas lembrou que os sociais democratas, na Região, engavetaram a medida, que foi aprovada pela Assembleia Regional, de extensão do serviço das Finanças para o Caniço que ainda não ocorreu.

“Este é um desrespeito perante o parlamento”, afirmou Sílvia Vasconcelos.

A deputada do PCP disse ainda que o PSD apesar de defender o aprofundamento da autonomia, não o tem feito, em assuntos como a adaptação de legislação nacional em assuntos como a gratuitidade dos manuais escolares e as entradas gratuitas nos museus ao domingo.

“São direitos dos cidadãos independente do lugar onde estes residam. A região não é contemplada por estas medidas”, explicou Sílvia Vasconcelos.

Ler mais
Recomendadas

Madeira: Municípios têm de ter acesso direto aos fundos comunitários, defende Paulo Cafôfo

O líder dos socialistas madeirenses aproveitou para criticar o Executivo regional, que se “diz autonomista”, mas “apenas do Funchal para Lisboa”.

Funchal investe 600 mil euros na repavimentação de 14 estradas

“Num ano em que tivemos o Orçamento Municipal chumbado por PSD e CDS, continuamos a fazer tudo o que está ao nosso alcance para encontrar soluções que tragam benefícios ao quotidiano dos funchalenses”, vincou Miguel Silva Gouveia.

Valor da habitação cai 0,3% na Madeira

A Madeira continua como a terceira região com o valor mais elevado do país, atrás do Algarve e da Região Metropolitana de Lisboa. Em agosto atingiu-se os 1.107 euros por metro quadrado.
Comentários