PCP vai votar contra renovação de emergência. “Há estado de emergência a mais e medidas a menos”

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, insiste que é necessário reforçar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e dar resposta a problemas concretos, como é o caso dos surtos da Covid-19 que têm aparecido em lares.

António Pedro Santos/Lusa

O Partido Comunista Português (PCP) referiu esta segunda-feira que vai votar contra a renovação do estado de emergência, por considerar que “há estado de emergência a mais e medidas a menos”. O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, insiste que é necessário reforçar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e dar resposta a problemas concretos, como é o caso dos surtos da Covid-19 que têm aparecido em lares.

“Há estado de emergência a mais e medidas a menos, particularmente tendo em conta a necessidade de reforço do SNS, com meios e profissionais, e simultaneamente dar resposta ao problema dos lares”, afirmou Jerónimo de Sousa, à saída da reunião com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre a renovação do estado de emergência por oito dias (entre 8 e 15 de janeiro).

Jerónimo de Sousa anunciou também que o PCP vai manter o voto contra o estado de emergência, que será votado esta quarta-feira na Assembleia da República. Desde de que foi decretado o primeiro estado de emergência devido à pandemia, o 19 de março, o PCP nunca votou a favor da declaração deste estado de exceção por considerar “excessiva” a suspensão do exercício de alguns direitos, liberdades e garantias, permitida à luz da Constituição da República. Nas duas primeiras votações, absteve-se, tendo votado contra nas restantes votações.

O novo estado de emergência deverá vigorar entre 8 e 15 de janeiro. No sábado, no primeiro debate das presidenciais, Marcelo Rebelo de Sousa explicou que esta renovação do estado de emergência terá “o mesmo regime” por oito dias, justificando essa alteração com a falta de dados suficientes relativos ao período natalício, que só serão conhecidos na reunião de terça-feira no Infarmed, em Lisboa.

Relacionadas

Covid-19: PEV contra estado de emergência, mas a favor de “outras soluções” como reforço do SNS

Os ecologistas defendem, em alternativa ao estado de emergência, “outras soluções”, como o reforço do SNS e dos transportes públicos.

CDS quer “saber antecipadamente as medidas que o Governo” pretende adotar para novo estado de emergência

“Verificamos descontrolo depois do Natal coisa que já podíamos ter antecipado dado que este Governo não foi específico nas orientações relativamente ao período do Natal”, sublinhou o líder centrista.

PAN considera que “faz sentido” renovar estado de emergência por oito dias

O porta-voz do PAN, André Silva, considera que é necessário aguardar os dados dos epidemiologistas para “em consciência e com responsabilidade” se decidir sobre uma nova renovação deste estado de exceção e sobre novas medidas de restrição para travar a pandemia.

Chega anuncia voto contra estado de emergência e redobra críticas a Eduardo Cabrita

O deputado único e presidente do Chega, André Ventura, considera que as medidas restritivas estão “a matar os negócios” e contesta que o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, continue a “coordenar o estado de emergência”.

Iniciativa Liberal vai votar contra renovação do estado de emergência

“A oposição da Iniciativa Liberal ao estado de emergência tem a ver com o excesso de poderes que são conferidos ao Governo, muitos deles estão nos decretos presidenciais desde o início e nunca foram utilizados”, frisou o líder liberal. 
Recomendadas

Respostas Rápidas: Quais as reações ao arraial da Iniciativa Liberal?

Apesar do parecer negativo da DGS, a celebração dos Santos Populares organizada pelo partido aconteceu. E seguiram-se críticas aos liberais que organizaram uma festa onde era possível fazer tiro ao alvo e acertar na cara de ministros.
Tiago Barbosa Ribeiro

Tiago Barbosa Ribeiro candidata-se pelo PS à Câmara do Porto

“Eu não faltarei ao Porto. Apresentarei a minha candidatura à Câmara Municipal do Porto na reunião da Comissão Política Concelhia do PS que vai decorrer esta noite”, afirmou.

Quem é Naftali Bennett, o primeiro-ministro que sucede a Benjamin Netanyahu em Israel?

Ao fim de 12 anos no poder, Benjamin Netanyahu sai do centro de decisões em Israel, após o parlamento israelita ter aprovado um Governo de coligação. O novo Governo de Israel vai ser liderado pelo líder da direita radical, Naftali Bennett e pelo líder centrista, Yair Lapid.
Comentários