Pedidos para ligar centrais solares à rede atingem os 270 gigawatts

A REN recebeu mais de quatro mil pedidos para ligar centrais à sua rede. Portugal tem uma meta até 2030 para atingir os nove gigawatts de nova potência solar, com os pedidos a ultrapassarem largamente esta meta.

A Redes Energéticas Nacionais (REN) recebeu pedidos para ligar centrais solares à sua rede que atingem os 270 gigawatts (GW). Para ter noção da escala, Portugal tem a meta de atingir nove gigawatts (GW) de nova capacidade solar fotovoltaica até 2030.

“A principal restrição está na capacidade das redes de absorver estes pedidos. Na REN, para o caso dos projetos solares, houve 4.400 pedidos no total de 270 gigawatts”, disse hoje o administrador da REN, João Conceição, que apontou para a “desproporcionalidade de pedidos face à capacidade”.

A REN, responsável pelo transporte de eletricidade em muito alta tensão, diz que procura dar resposta a estes pedidos através dos “desenvolvimentos de redes de forma tradicional, através dos planos de desenvolvimento de rede”, mas também através de uma “nova modalidade” os “acordos diretos” entre a REN e os produtores para “tentar otimizar as necessidades de rede versus pedidos apresentados”.

“Há mais pedidos do que a rede consegue absorver”, resumiu o responsável da REN durante a conferência anual da Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN).

Também a EDP Distribuição assume que tem recebido muitos pedidos para ligar centrais solares à sua rede.

“Há uma pressão muito grande sobre a nossa organização, as pessoas são impacientes com os prazos, temos a organização sob muita pressão. Trabalhamos diariamente com a Direção-Geral de Energia (DGEG) e REN. Estamos preparados, é um tema que preocupa, mas que vamos ultrapassar, vamos dar conta do recado”, afirmou o presidente da EDP Distribuição, João Torres.

O cenário é semelhante em relação aos projetos de autoconsumo, adiantou o líder da rede de transporte de baixa tensão e de média tensão.

“Tivemos milhares de pedidos a bater nos à porta. Mais de cinco mil e ligação com operador de transporte. Estamos de facto sob muita pressão”, apontou João Torres.

“Estamos muito empenhados. Vamos responder a todos, reforçámos as equipas. Estamos muito conscientes que este sucesso passa por nós”, sublinhou o líder da EDP Distribuição.

 

 

 

 

Relacionadas

Interligação elétrica ibérica com o resto da Europa continua a ser relevante, defende ERSE

Atualmente, Portugal e Espanha têm 15% de capacidade de interligação elétrica à Europa. Em cima da mesa continua a hipótese de criar uma interligação entre a Península Ibérica e outros parceiros europeus, nomeadamente com França.

Setor europeu das renováveis defende aposta na inovação para travar ofensiva chinesa

O setor das renováveis defende uma maior aposta na inovação para aumentar a produção europeia de componentes eólicos e solares.

Comissão Europeia: Portugal tem “condições competitivas para a produção” de hidrogénio verde

A comissária para a Energia destacou hoje o “grande projeto” idealizado para Sines com o objetivo de construir uma central de produção de hidrogénio verde com o objetivo de exportar este gás para a Holanda.
Recomendadas

Do “Cartão Vermelho” ao “Fora de Jogo”: como combater as ilegalidades do futebol português? Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Presidente da República diz que Alemanha e Volkswagen prometeram e cumpriram com Portugal

“A Autoeuropa correu bem porque, em primeiro lugar – como já disse o senhor primeiro-ministro -, nós mostrámos que éramos capazes de fazer bem feito”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, salientando que os portugueses também demonstraram ser capazes de ser consistentes na produção de qualidade, capacidade de resiliência e de inovação.

Portuguesa Blue Oasis Technology foi uma das startups vencedoras do programa das fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian

A empresa, com menos de um ano de vida, desenha, constrói e instala “recifes” artificiais que permitem a, recuperação de ecossistemas marinhos danificados e a reversão do declínio da biodiversidade do oceano. Noruegueses da Tekslo Seafood e argentinos da FeedVax também se destacaram.
Comentários