Pedro Silva Pereira: “Alma gémea” de José Sócrates chega à vice-presidência do Parlamento Europeu

As carreiras políticas de Silva Pereira e Sócrates foram indissociáveis ao longo de uma década e meia, até 2014, quando o primeiro foi eleito eurodeputado e o segundo foi apanhado na “Operação Marquês”. A eleição como vice-presidente do Parlamento Europeu poderá completar o processo de emancipação.

Quando José Sócrates exerceu o cargo de ministro adjunto do primeiro-ministro António Guterres, entre 1997 e 1999, Pedro Silva Pereira foi assessor jurídico no gabinete de Sócrates. Quando o mesmo Sócrates ascendeu ao cargo de ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território, no segundo Governo liderado por Guterres, entre 1999 e 2002, Silva Pereira assumiu as funções de secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza.

E assim sucessivamente, como duas linhas entrelaçadas, ambos deputados à Assembleia da República entre 2002 e 2005, na bancada parlamentar do PS, e entretanto Sócrates conquista a liderança do partido em 2004 e torna-se primeiro-ministro no ano seguinte, coadjuvado por Silva Pereira no cargo de ministro da Presidência, entre 2005 e 2011. As linhas separam-se apenas em 2014: Silva Pereira é eleito eurodeputado em maio, ao passo que Sócrates é detido no âmbito da “Operação Marquês” em novembro.

No entanto, os meandros da “Operação Marquês”, mediante a qual Sócrates está acusado de 31 crimes – corrupção passiva de titular de cargo político (3), branqueamento de capitais (16), falsificação de
documento (9) e fraude fiscal qualificada (3) -, não deixaram de envolver Silva Pereira. A sua mulher, Ana Bessa, “foi interrogada pelo Ministério Público. Em causa está uma avença mensal que durante um ano recebeu de uma empresa de Carlos Santos Silva”, noticiou o jornal “Sol”, a 29 de abril de 2017.

“Os investigadores suspeitam que essa foi uma das formas utilizadas por José Sócrates para fazer circular o dinheiro com origem em contrapartidas ilícitas que terá recebido enquanto esteve à frente do Governo. (…) Ouvida no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em fevereiro passado, Ana Bessa prestou declarações no âmbito da ‘Operação Marquês’. Foi confrontada com contratos de prestação de serviços à XLM-Sociedade de Estudos e Projetos, empresa do universo de Carlos Santos Silva, suspeito de ser o testa-de-ferro de Sócrates, sendo também, segundo o ‘Sol’ apurou, interrogada sobre despesas que o ex-primeiro-ministro suportou com o seu filho, Gonçalo Pereira, enquanto este estudou em Paris”, revelou o mesmo jornal.

Essa ligação tóxica entre Silva Pereira e Sócrates não obstou a que o PS voltasse a incluir Silva Pereira na lista de candidatos ao Parlamento Europeu nas eleições deste ano, na terceira posição. Ora, Silva Pereira manteve uma presença discreta ao longo da campanha eleitoral, mas após a reeleição surgiu como candidato à vice-presidência do Parlamento Europeu. E hoje foi confirmada a sua eleição como segundo vice-presidente.

 

O segundo mais votado

Silva Pereira foi o segundo candidato mais votado, de um total de 17, tendo obtido 556 dos 702 votos expressos, bem acima da maioria absoluta necessária (331). “Estou naturalmente muito satisfeito com a votação, dificilmente podia ter sido melhor”, afirmou o eurodeputado socialista, acrescentando que a eleição “valoriza a voz de Portugal na Europa” e é “um importante reconhecimento internacional do trabalho” que tem desempenhado.

De acordo com a biografia disponibilizada na sua página oficial, Silva Pereira nasceu em Lisboa, em 1962. É Mestre em Direito (Ciências Jurídico-Políticas) pela Faculdade de Direito de Lisboa, da Universidade de Lisboa (desde 1993), tendo-se também licenciado em Direito (Ciências Jurídico-Políticas), naquela mesma Faculdade, em 1985.

Jurista e docente universitário, é assistente da Faculdade de Direito de Lisboa (Grupo de Ciências Jurídico-Políticas), onde exerce funções docentes desde 1984 (agora suspensas). Foi também professor auxiliar da Universidade Autónoma de Lisboa, no curso de Direito e docente da Universidade Lusíada em cursos de pós-graduação. Exerceu ainda as funções de editor executivo de Informação da TVI (1992-1996) e de consultor jurídico no Ministério do Ambiente em diversos organismos, serviços e gabinetes governamentais, entre outras atividades profissionais.

Ler mais
Relacionadas

Silva Pereira eleito vice-presidente do Parlamento Europeu

O antigo ministro de José Sócrates foi o segundo vice-presidente mais votado, com 556 votos.

Quem é David Maria Sassoli, o presidente do Parlamento Europeu anti-Liga?

Dizem que é uma espécie de presente envenenado para Matteo Salvini, o italiano que conseguiu transformar a escolha da Comissão num verdadeiro caos. Jornalista antes de ser político, está nesta instituição europeia há muitos anos.
Recomendadas

Presidente de Angola aprova acordo de financiamento no valor de 582 milhões de euros

João Lourenço refere que o acordo foi aprovado ao abrigo do Projeto de Estabilização Macroeconómica e Financiamento da Política de Desenvolvimento Inclusivo e Diversificação Económica de Angola.

Espanha regista quebra de 75% no número de turistas estrangeiros em março

Os confinamentos vividos no segundo país mais visitado do mundo antes da pandemia levaram a quebras assinaláveis na chegada de turistas estrangeiros ao país. O principal mercado emissor, o Reino Unido, quebrou 97,2% nos primeiros três meses do ano, sendo suplantado em volume de visitantes por França, Alemanha e até Portugal.

Emprego nos EUA deverá manter trajetória de recuperação em abril, esperam analistas

O animador relatório de criação de emprego nos EUA em março deverá agora ver uma continuação da trajetória positiva, numa altura em que a pandemia vai ficando progressivamente mais controlada naquele que foi um dos países mais afetados economicamente pela Covid-19 em 2020.
Comentários