Pequenos gestos…. fazem a diferença

Agradecer não acarreta custos económicos, mas talvez poderá beneficiar muito mais a economia do que qualquer outra intervenção. Estudos indicam que a gratidão está relacionada com um maior bem-estar (Emmons & Crumpler, 2000; Lin, 2017) e qualquer empresa, pública ou privada, com certeza irá beneficiar de recursos humanos que se sentem bem emocionalmente e mentalmente.

Neste tempo tão incerto da nossa vida, onde muitos de nós tentamos apenas “sobreviver”, nunca fez tanto sentido dizer que é preciso parar! É preciso parar de correr de um lado para outro, sem tempo para respirar fundo; é preciso parar de não ter tempo para almoçar ou de não ter tempo para ir a um café com um amigo, nem que seja um “café virtual”.

É preciso parar de, simplesmente, “não ter tempo”. Como diz a fadista Mariza, “O tempo não pára”! E é verdade, o tempo não para! O relógio da vida continua a mover-se a cada segundo, a cada minuto, a cada hora, a cada dia, …e somos nós que decidimos o que fazer no segundo, no minuto, na hora e no dia….o provérbio tão popular “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje” é talvez, mais do que nunca, algo que devemos ouvir e refletir com muita atenção.

Se o ano de 2020 nos tem trazido muitas reflexões, uma delas deveria ser: o que estamos a fazer com o nosso tempo?!? O tempo é um dos elementos mais preciosos da nossa vida, por isso não o deixem passar “sem mais nem menos”. Deem “significado” ao vosso tempo! Aproveitem as oportunidades que a vida vos traz, algumas só surgirão uma vez e é preciso agarrá-las com “unhas e dentes”. Sejam vocês mesmos; não se deixem “sugar” pelos problemas, pelas inquietudes ou pelas angústias que invariavelmente fazem e sempre farão parte da vida. Agarrem os vossos sonhos e persigam-nos com tenacidade mas, ao mesmo tempo, com humildade e respeito. Aproveitem o vosso tempo para apreciar os pequenos momentos da vida, seja a olhar o azul do mar, a respirar o ar puro no meio da floresta, a olhar o céu estrelado, a ver o pôr-do-sol ou a sentir o cheiro do outono a chegar.

Aproveitem também o vosso tempo para agradecer os pequenos gestos daqueles que enriquecem a vossa vida. A Psicologia Positiva considera a gratidão um elemento fundamental do bem-estar de cada um de nós e, neste sentido, a gratidão é encarada como uma forma de agradecer as “coisas boas” da vida que vai muito mais além de um mero “obrigada”. Muito estudos científicos têm comprovado que as pessoas que agradecem verdadeiramente, e se sentem realmente gratos, são pessoas que apresentam maior perceção de suporte social, menores níveis de stress e de depressão (Wood, Joseph, & Maltby, 2008), sentem maior satisfação com a vida (Sheldon, & Lyubomirsky, 2007), revelam maior saúde física  (Hill, Allemand, & Roberts, 2013) e até melhorias ao nível do sono e do otimismo (Jackowska, Brown, Ronaldson, & Steptoe, 2016). Se a ciência nos diz que a gratidão pode ser uma fonte de bem-estar, porque não “agradecer de coração” àqueles que nos fazem bem?

Agradecer não acarreta custos económicos, mas talvez poderá beneficiar muito mais a economia do que qualquer outra intervenção. Estudos indicam que a gratidão está relacionada com um maior bem-estar (Emmons & Crumpler, 2000; Lin, 2017) e qualquer empresa, pública ou privada, com certeza irá beneficiar de recursos humanos que se sentem bem emocionalmente e mentalmente. Por isso, até pode parecer um cliché, mas agradecer, em todos os contextos da nossa vida, a todos aqueles que de alguma forma nos estimam, nos apreciam, acreditam em nós sem esperar nada em troca, é uma atitude não só de coragem e de humildade, mas também promotora de bem-estar, não só para quem recebe a nossa gratidão, mas também para quem a dá livremente. Apesar de todos termos os nossos problemas e de, neste ano, os problemas parecerem estar exacerbados por tudo o que estamos a vivenciar e possivelmente por tudo aquilo que ainda iremos enfrentar, é talvez este também um tempo para agradecer. Para agradecer a todos aqueles que fazem parte da nossa vida, para agradecer até as dificuldades, pois são estas que nos ajudam a crescer. É um tempo para agradecer as oportunidades e os desafios que surgem, mas também é um tempo para agradecer os pequenos gestos que fazem a diferença na nossa vida: sejam estes utilizar uma máscara, higienizar as mãos, mantermo-nos “juntos” à distância ou agradecer uma garrafa de champanhe para celebrar uma conquista. Ou um momento de “amnésia” para esquecer os problemas que irão chegar, ou até mesmo uma simples mensagem, como “estou aqui”, “acredito em ti” ou “mereces”! Estes pequenos gestos valem muito mais do que “todo o ouro do mundo” e são a estes gestos de amizade que hoje dedico este artigo, pois utilizando as palavras de Lea Waters “When we witness great acts of kindness or courage, it inspires us and elevates us to also want to be kinder and braver ourselves”. Por isso, obrigada aos pequenos gestos que fazem a diferença, porque são estes que nos enchem de lágrimas de felicidade, nos ajudam e dão força a continuar e nos fazem olhar o mundo ao nosso redor com gratidão e com vontade de continuar, não a sobreviver, mas a “florescer”!

Recomendadas

Saiba como escolher brinquedos com segurança

Opte por brinquedos com informações, avisos de segurança e instruções de utilização em português. Aliás, é obrigatório que toda a rotulagem esteja na nossa língua.

JP Madeira pede mais apoio às forças de segurança

A Juventude Popular da Madeira diz que tratamento das forças de segurança, pelo Governo da República, durante a pandemia, tem sido “irresponsável e insensato, colocando os elementos sobre stress e comprometendo a segurança nacional”.

Madeira: eurodeputada do PS saúda manutenção de verbas do POSEI

As dotações do POSEI, Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas RUP, mantêm-se.
Comentários