Perspetiva de cortes nas taxas de juro anima Wall Street

A Reserva Federal norte-americana através do seu presidente, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

BRENDAN MCDERMID/Reuters

A bolsa norte-americana iniciou a sessão desta quarta-feira em território positivo, derivado da possibilidade da Reserva Federal poder vir a cortar, se necessário as taxas de juros.

O tecnológico Nasdaq valorizou 0,51% para 7.565,34 pontos, o alargado S&P 500 cresceu 0,45% para 7.561,91 pontos e o industrial Dow Jones subiu 0,49%, para 25.455,95 pontos.

Na terça-feira, o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. “Não sabemos como ou quando essas questões serão resolvidas”, afirmou Powell, acrescentando que a Fed “agirá como apropriado para sustentar” a economia.

Nas empresas tecnológicas a Apple iniciou a sessão a subir 2% e o Facebook cresceu 0,7%, enquanto a Amazon valorizou 0,7%.

[em atualização]

Recomendadas

Os caminhos da reserva federal norte-americana

Sem grande história a sessão de ontem foi marcada por uma inversão do movimento de sexta-feira, nomeadamente o sector tecnológico passou de maior perdedor para o que mais valorizou.

Prazo para subscrever às “Obrigações TAP 2019-2023” termina esta terça-feira

Com este empréstimo obrigacionista lançado no dia 3 de junho, a TAP pretende levantar 200 milhões de euros. As obrigações têm uma maturidade de quatros anos e oferecem uma rentabilidade de 4,375% por ano. Os resultados da operação serão conhecidos esta quarta-feira, dia 19.

Tecnologia anima Wall Street, que aguarda decisões da Fed

Os títulos da rede social Facebook fecharam com um disparo de 4,24%, para 189,01 dólares. Os investidores estão ainda atentos aos resultados trimestrais da Oracle e da Adobe.
Comentários