Perspetiva de cortes nas taxas de juro anima Wall Street

A Reserva Federal norte-americana através do seu presidente, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

BRENDAN MCDERMID/Reuters

A bolsa norte-americana iniciou a sessão desta quarta-feira em território positivo, derivado da possibilidade da Reserva Federal poder vir a cortar, se necessário as taxas de juros.

O tecnológico Nasdaq valorizou 0,51% para 7.565,34 pontos, o alargado S&P 500 cresceu 0,45% para 7.561,91 pontos e o industrial Dow Jones subiu 0,49%, para 25.455,95 pontos.

Na terça-feira, o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. “Não sabemos como ou quando essas questões serão resolvidas”, afirmou Powell, acrescentando que a Fed “agirá como apropriado para sustentar” a economia.

Nas empresas tecnológicas a Apple iniciou a sessão a subir 2% e o Facebook cresceu 0,7%, enquanto a Amazon valorizou 0,7%.

[em atualização]

Recomendadas

Depois do BCE, o que vai fazer a Fed? Investidores com reservas deixam Wall Street no ‘vermelho’

O alargado S&P 500 recuou 0,11% para 3.006,16 pontos e o Nasdaq tombou 0,31% para 7.892,95. Apenas o industrial Dow Jones conseguiu manter-se no verde e fechou com uma valorização de 0,14% para 27.219,52 pontos.

S&P mantém ‘rating’ de Portugal, mas sobe ‘outlook’ para positivo

Agência norte-americana manteve a notação financeira de Portugal no segundo grau de investimento, mas subiu o ‘outlook’ de ‘estável’ para ‘positivo’. Política monetária do BCE, juntamente com os ganhos de competitividade em Portugal, melhoraram a resiliência externa da economia e reduziram o custo do serviço da dívida externa, justificou a S&P.

PSI20 fecha semana no ‘verde’ com BCP a ajudar

Por setores, note-se que a banca foi dos mais animados com os espanhóis Sabadell e CaixaBank na linha da frente. BCP aproveitou o ambiente do setor e deu impulso ao PSI20, com uma subida acima dos 4%.
Comentários