Perspetiva de cortes nas taxas de juro anima Wall Street

A Reserva Federal norte-americana através do seu presidente, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Brendan McDermid / Reuters

A bolsa norte-americana iniciou a sessão desta quarta-feira em território positivo, derivado da possibilidade da Reserva Federal poder vir a cortar, se necessário as taxas de juros.

O tecnológico Nasdaq valorizou 0,51% para 7.565,34 pontos, o alargado S&P 500 cresceu 0,45% para 7.561,91 pontos e o industrial Dow Jones subiu 0,49%, para 25.455,95 pontos.

Na terça-feira, o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, deu a entender que o banco central poderia reduzir as taxas de juros para sustentar a economia face às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China. “Não sabemos como ou quando essas questões serão resolvidas”, afirmou Powell, acrescentando que a Fed “agirá como apropriado para sustentar” a economia.

Nas empresas tecnológicas a Apple iniciou a sessão a subir 2% e o Facebook cresceu 0,7%, enquanto a Amazon valorizou 0,7%.

[em atualização]

Recomendadas

Wall Street fecha semana com ganhos ligeiros. Nasdaq reflete dados da criação de emprego

O Nasdaq Composite registou a única queda da sessão: 0,87% para 11,010.98 pontos. Foi a maior vítima da sessão de uma conjugação de fatores: a criação de empregos nos EUA e a negociação do pacote de estímulos fiscais.

Aumento de capital da EDP não anima investidores. PSI-20 encerra no ‘vermelho’

O PSI-20 fecha a sessão de hoje a desvalorizar 0,25% para 4.362,62 pontos à boleia da EDP que desvaloriza 0,73% depois de ter completado o aumento de capital que vai financiar a compra da espanhola Viesgo.

Emprego supera as expetativas mas proibições ao Tik Tok agitam Wall Street

A Bolsa de Nova Iorque abriu a sessão sexta quarta-feira em terreno negativo face às proibições impostas por  Donald Trump para com todas as transações entre empresas ou cidadãos norte-americanos com a BytDance, que detém a rede social Tik Tok, e a Tencent, empresa que controla a aplicação We Chat. No início da sessão, o […]
Comentários