PEV também qualifica Plano de Recuperação e Resiliência de “oportunidade perdida”

“Verdes” saíram “preocupados” da reunião com o primeiro-ministro, coincidindo com a Iniciativa Liberal nas dúvidas quanto à forma como as propostas do documento podem criar “condições reprodutivas que possam permitir o desenvolvimento do país e do bem-estar das populações”.

António Pedro Santos/Lusa

A delegação do PEV que reuniu com o Governo para a apresentação do Plano de Recuperação e Resiliência repetiu o diagnóstico de “oportunidade perdida” que fora deixado pelo presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, na primeira das oito audiências que ao longo desta segunda-feira vão decorrer com todos os partidos com representação parlamentar (tirando o PS) na residência oficial do primeiro-ministro.

No final da reunião, a dirigente Manuela Cunha começou por dizer que os “Verdes” saíram preocupados da reunião com António Costa “porque parece que podemos estar perante mais uma oportunidade perdida”, na medida em que “não foram tomadas suficientes ilações do que é esta pandemia, as suas causas, como se propagou, e como o Mundo e Portugal têm de promover uma base de desenvolvimento sustentável”.

Ressalvando “raras exceções” positivas no Plano de Recuperação e Resiliência que enquadra as verbas disponibilizadas pela União Europeia para fazer face à crise económica e social provocada pela pandemia, incluindo o investimento no Serviço Nacional da Saúde – “que, aliás, deveria acontecer com ou sem Covid”, comentou – , na ferrovia e na habitação pública, o PEV considera que o documento não dá resposta a problemas estruturais de Portugal. É o caso, segundo os “Verdes”, da necessidade de soberania alimentar, pois a pandemia tornou evidente como “somos altamente dependentes de bens de consumo alimentares” vindos de outros países, ou de fazer face ao “desequilíbrio populacional” que potenciou a propagação do coronavírus.

Considerando que o documento apresentado pelo primeiro-ministro, pelos ministros da Economia e do Planeamento, Pedro Siza Vieira e Nelson de Souza, e pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, não cria “condições reprodutivas que possam permitir o desenvolvimento do país e do bem-estar das populações”, Manuela Cunha garantiu que o PEV irá dar contributos para “um melhor aproveitamento das verbas” provenientes de Bruxelas.

Depois da Iniciativa Liberal e do PEV, o Governo reunirá nesta segunda-feira com o PCP, PAN, Chega, CDS, Bloco de Esquerda e PSD, seguindo-se na terça-feira a discussão do documento no Conselho Económico e Social e na quarta-feira um debate parlamentar que contará com a presença de António Costa.

Relacionadas

Costa recebe hoje partidos à procura de consenso no Plano de Recuperação e Resiliência

O primeiro-ministro reúne-se hoje, em São Bento, com os partidos com representação parlamentar sobre o Plano de Recuperação e Resiliência, documento que classifica como estratégico e em relação ao qual quer alcançar um “amplo consenso” político.

Iniciativa Liberal vê Plano de Resiliência como “indício de uma oportunidade perdida”

João Cotrim Figueiredo reagiu ao Plano de Recuperação e Resiliência com críticas ao “dirigismo” e “aspetos propagandísticos” de um documento em que apenas um terço das verbas se destinam a investimento reprodutivo, com recapitalização das empresas e geração de emprego.
Recomendadas

Deputada Cristina Rodrigues considera que OE2021 responde “na medida do possível” à crise da Covid-19

A ex-deputada do PAN defende que há ainda questões que podem ser melhoradas na proposta orçamental, mas destaca já alguns avanços do Executivo socialista, sobretudo no que toca à proteção dos animais.
joacine_katar_moreira_livre

OE2021 com viabilização garantida? Abstenção das deputadas não-inscritas resolve impasse

As duas abstenções das deputadas não-inscritas, Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues, dão ao Governo o resultado necessário para aprovar, matematicamente, o Orçamento do Estado na generalidade, com 108 a favor, 103 contra e 19 abstenções. OE2021 seguirá para debate na especialidade.
Cristina Rodrigues

OE2021: Deputada não inscrita Cristina Rodrigues abstém-se e garante viabilização na generalidade

O debate do Orçamento do Estado para 2021 está agendado para terça-feira e quarta-feira no parlamento, sendo votado, na generalidade, no último dia.
Comentários