Pfizer anuncia fusão que deverá gerar faturação de 18 mil milhões de euros

A Pfizer controlará 57% do capital social da nova empresa, enquanto os acionistas da Mylan terão o controlo dos restantes 43%.

A farmacêutica Pfizer chegou a um acordo definitivo que consiste numa troca de ações, com o objetivo da fusão entre a sua divisão de medicamentos “UpJohn”, e a marca especialista em genéricos “Mylan”. A nova empresa que surgirá fruto desta fusão vai comercializar, entre outros, os populares medicamentos para a disfunção erétil “Celebrex”, e também para problemas cardiovasculares medicamentos da marca Lipitor.

Segundo o El Economista, os termos do negócio, que foram aprovados de forma unânime pelos conselhos de ambas as empresas, consiste nas ações da Mylan serem convertidas em ações da nova empresa.

A Pfizer controlará 57% do capital social da nova empresa, enquanto os acionistas da Mylan terão o controlo dos restantes 43%.

A faturação prevista para 2020 será entre os 17 mil milhões de euros e os 18 mil milhões de euros.

A empresa será dirigida por Robert J. Coury, atual presidente da Mylan, enquanto que Michael Gottler, atual presidente da UpJohn atuará como conselheiro. Está previsto que o nome da nova empresa esteja decidido em meados de 2020.

O negócio vem na sequência dos resultados menos conseguidos da Pfizer, em especial das perdas registadas pela UpJohn que foram de 10,8% correspondentes a 2 mil e 500 milhões de euros em comparação ao ano anterior.

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Bankinter afundam 50% para 220 milhões

Bankinter justifica recuo nos lucros com a realização de provisões devido à pandemia. Já o Bankinter Portuga viu os resultados antes de impostos recuarem 36% para 33 milhões de euros.

NOS e Vodafone fecham acordo para partilhar infraestruturas da rede móvel em todo o país

As duas operadoras de telecomunicações fecharam um conjunto de acordos de partilha de ativos e desenvolvimento de redes móveis, a nível nacional. Os acordos incidem sobre atuais e futuros ativos para as redes móveis 2G, 3G e 4G. Quanto ao 5G, a partilha estará dependente de novo acordo.

Conselho Geral do Novo Banco aprova hoje redução da administração executiva e continuidade de Ramalho

É hoje que é decidida a renovação do mandato para António Ramalho que se mantém presidente executivo do Novo Banco no próximo mandato de 2021-2024. O Conselho Geral de Supervisão vai reduzir o Conselho de Administração Executivo para seis membros e aprovar o novo plano de negócios.
Comentários