Pharol e Mota Engil afundam PSI20, arrastado por ‘maré’ vermelha europeia

O PSI20 encerrou a sessão desta segunda-feira a cair 0,35%, para 5.142,45 pontos. BCP, EDP, Galp e Ibersol escapam ao sinal vermelho que se estende às principais praças europeias.

Benoit Tessier / Reuters

O principal índice bolsista português, PSI 20, encerrou a sessão desta segunda-feira a desvalorizar 0,35%, para 5.142,45 pontos, seguindo a tendência vermelha europeia.

Apenas quatro cotadas portuguesas escaparam ao ‘mar’ vermelho. O BCP subiu 0,63%, para 0,22 euros. A energética EDP cresceu 0,44%, para 3,44 euros.

Relativamente à EDPR, a casa de investimento mantém uma visão positiva em termos fundamentais, embora reconhecendo o freefloat (parcela de capital negociada em bolsa e que não se encontra na posse dos acionistas de referência) limitado como uma preocupação: o preço-alvo para finais de 2019 subiu dos 9.60 euros para os 10.60 euros e a recomendação manteve-se em «comprar».

A petrolífer Galp valorizou 0,14%, para 13,85 euros. A maior subida foi verificada pela Ibersol (1,01%, para 8,00 euros.

De resto todas as cotadas portuguesas encerraram a sessão no vermelho. A Mota-Engil tombou 1,91%, para 2,05 euros e a Pharol depreciou 2,86%, para 0,19 euros.

A Sonae SGPS caiu 1,83%, para 0,19 euros e a Sonae Capital desceu 1,23%, para 0,88 euros.

“As praças europeias encerraram na sua globalidade em baixa. A revelação de que a confiança dos empresários alemães terá aumentado pela primeira vez em seis meses ainda deu ânimo, mas que se revelou insuficiente para afastar os receios relacionados com o abrandamento económico”, refere Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium investment banking.

Na Alemanha, o DAX desceu 0,17%, no Reino Unido, o FTSE 100 caiu 0,39%, o francês CAC 40 desvalorizou 0,18%, o holandês AEX depreciou 0,50%. Em Espanha, o IBEX35 desceu 0,22% e o italiano FTSE MIB caiu 0,14%.

A cotação do barril de Brent está flat, com valor de 66,75 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desceu 0,15%, para 58,47 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valorizou 0,02%, para 1,13 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Pessimismo toma conta de Wall Street com receios do abrandamento económico

Mercados norte-americanos corrigem, seguindo a tendência dos pares europeus. Dia ficará ainda marcado pela apresentação do plano empresarial da Apple.

Alerta soa em Wall Street, Bulls fogem para as colinas

Nesta fase do ciclo económico é o sector dos serviços que está a impedir a economia do bloco europeu de entrar em recessão, restará saber por quanto tempo.
Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Sexta sessão em queda. Bolsa de Lisboa penalizada por perdas do BCP e Galp

Num quadro pintado de encarnado, a EDP Renováveis e a Sonae sobressaíram pela positiva, ao subirem ambas cerca 0,20%. Nas restantes praças europeias, igualmente pessimistas, destacam-se as transações de M&A da banca espanhola – desta feita, entre o Unicaja e o Liberbank.

Depois das fortes quedas de quarta-feira, Wall Street abre em baixa

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.
Comentários