Plano de descarbonização do Reino Unido vai atrair 90 mil milhões em investimento e criar 440 mil empregos

Apesar da boa nova, para os especialistas e ativistas as propostas continuam longe de ser suficientes para fazer frente às necessidades climáticas urgentes e a por um fim nos combustíveis fósseis.

EPA/ANDY RAIN / POOL

O governo de Boris Johnson já anunciou o plano de descarbonização da região, tratando-se de uma estratégia que poderá vir a criar 440 mil novos empregos e atrair até 90 mil milhões de libras (106,81 mil milhões de euros) em investimento do sector privado. Apesar da boa nova, para os especialistas e ativistas as propostas continuam longe de ser suficientes para fazer frente às necessidades climáticas urgentes e a por um fim nos combustíveis fósseis.

De acordo com o “The Guardian”, o plano envolve propostas como uma aposta nos carros elétricos e nos postos de carregamento; um reforço da energia eólica offshore; investimentos em novas tecnologias (como hidrogénio e combustível de aviação sustentável); 120 milhões de libras (cerca de 142,41 milhões de euros) em pelo menos uma nova central nuclear e ainda um cheque de 124 milhões de libras (cerca de 147,06 milhões de euros) para restaurar 280 mil hectares de turfeiras e florestas em Inglaterra.

E numa altura em que se assiste a um aumento dos preços da energia e um progressivo aumento nas contas dos consumidores, o governo garantiu que este plano irá assegurar aos britânicos uma rede de segurança e estabilidade em termos de acesso a este recurso e uma atenção aos custos.

De acordo com a publicação, as famílias vão beneficiar de um subsídio para instalar bombas de calor de baixo carbono como parte de um plano de 3,9 mil milhões de libras (cerca de 4,63 mil milhões de euros) para descarbonização dos edifícios, incluindo um esquema de atualização de caldeiras de três anos de 450 milhões de libras (cerca 533,87 milhões de euros).

A estratégia, que foi apresentada a tempo do Cop26, que decorre em Glasgow no início do próximo mês, abre caminho “para o Reino Unido terminar a sua contribuição para as alterações climáticas”, tal como referiu Boris Johnson.

“A nossa contribuição será pavimentada com empregos bem pagos, milhares de milhões de libras em investimentos e prósperas indústrias verdes, de forma a impulsionar esta revolução industrial em todo o país”, cita o “The Guardian” as palavras do primeiro-ministro.

 

Recomendadas

Emissões de gases com efeito de estufa aumentaram 18% na União Europeia

Os responsáveis pela maior parte das emissões de gases com efeito de estufa foram a indústria e construção, o fornecimento de eletricidade e a agricultura (14%), divulga o Eurostat.

Projeto de 31 milhões de euros para proteção florestal vai beneficiar 15 mil hectares

O projeto terá em conta também a redução do risco de incêndio, com a diversificação e combinação de espécies, criação de faixas de gestão de combustível e vigilância regular.

Premium“Não podemos ter mil hectares intervencionados com um enclave”, afirma secretário de Estado das Florestas

Arrendamento forçado é apontado pelo secretário de Estado das Florestas como garantia de que “ínfima minoria” não condicione áreas que podem travar incêndios e garantir apoios a produtores até agora excluídos desses rendimentos.
Comentários