Plenário dos motoristas vai discutir adiamento da greve

Hipótese de adiar greve para depois de agosto vai ser levada a apreciação dos associados dos sindicatos que reúnem amanhã em plenário.

A hipótese de adiamento da greve marcada para 12 de agosto para depois das férias de verão dos portugueses vai ser levada à apreciação dos associados dos sindicatos dos motoristas que se reúnem amanhã, sábado, em plenário, em Aveiras.

Outras hipóteses serão também analisadas pelos cerca de 2.000 associados como o mecanismo de mediação, proposto pelo Governo, e eventual contraproposta dos patrões que possa ser apresentada pelos patrões até esta sexta-feira, 9 de agosto, prazo dado pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) e Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) para a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) voltar à mesa das negociações.

“Todas as hipóteses estão em cima da mesa e vão ser levadas à apreciação dos associados no plenário conjunto marcado para este sábado para decidirem sobre o levantamento ou manutenção da greve”, afirma ao Jornal Económico Anacleto Rodrigues, porta-voz do SIMM.

No entanto, o mesmo dirigente acrescenta que os associados poderão inviabilizar o adiamento, na sequência das recentes declarações de membros do Governo e do Presidente da República.

“Os ânimos ficaram ainda mais acicatados depois dos serviços mínimos decretados pelo Governo, que são um atentado à lei da greve”, diz Anacleto Rodrigues.

Anacleto Rodrigues revela que neste sábado, 10 de agosto, “vão ser discutidas várias hipóteses”, acrescentando que “uma delas é a de suspensão da greve para data posterior”. “Não é desconvocar, mas adiar para dar mais tempo à Antram. Uma hipótese que levaria à marcação de nova data, que teria sempre de ser definida em plenário”, realça o sindicalista.

Ler mais
Recomendadas

Sindicatos da Função Pública reúnem hoje (de novo) com o Governo. Mais dias de férias em cima da mesa

As estruturas sindicais da função pública reúnem-se novamente com o Governo com a expetativa de poderem negociar aumentos salariais superiores à proposta de sete euros para salários até 683,13 euros. Governo já sinalizou abertura para avaliar contrapostas para salários mais baixos. Mas assegura que para o resto da função pública, os 0,3% são ponto assente.

“O sports betting pode tornar-se incompatível com uma série de marcas”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, Fred Antunes, CEO da RealFevr, plataforma de ‘fantasy leagues’, qualificou como inevitável o caminho das fantasy leagues para uma plataforma de sports betting.

AEP insiste na internacionalização em três frentes simultâneas

Dubai, México e Senegal são as geografias onde, esta semana, A Associação Empresarial de Portugal leva empresas interessadas em aumentar a sua exposição aos novos mercados.
Comentários