PLMJ promove oito advogados

Cristiano Dias, João Maria Mota de Campos, Manuel Sequeira, Pedro Rosa e Sara Lemos de Meneses foram nomeados associados sénior nos escritórios em Portugal. Emmanuel da Silva e Elsa Tchicanha em Angola e Natércia Sitoe em Moçambique.

Cristina Bernardo

A sociedade de advogados PLMJ promoveu oito dos seus advogados a associados sénior, perfazendo agora um total de 58 na ‘casa’. Entre os juristas que cresceram dentro deste escritório estão Cristiano Dias (Contencioso bancário, financeiro e societário), João Maria Mota de Campos (German Desk), Manuel Sequeira (Corporate M&A), Pedro Rosa (Laboral) e Sara Lemos de Meneses (Bancário, Financeiro e Mercado de Capitais.

Nas sociedades com as quais a PLMJ colabora em Angola e Moçambique (BCSA e TTA) foram promovidos a associados sénio Emmanuel da Silva e Elsa Tchicanha (Luanda) e Natércia Sitoe (Maputo).

Para Luís Pais Antunes, estas nomeações “são o reconhecimento do extraordinário trabalho destes advogados”. O managing partner da PLMJ considera-os “mentes inovadoras e arrojadas nas soluções jurídicas que constroem, espíritos verdadeiramente críticos e futuros líderes capazes de inspirar os mais novos”.

Luís Pais Antunes refere, em comunicado divulgado esta quarta-feira, que a nomeação destes novos associados sénior “acontece num contexto em que o mundo atravessa um momento de grande dificuldade, preocupação e incerteza, nos planos económico e social”. “Independentemente das incertezas do presente, nada é mais certo do que o futuro e o futuro faz-se com as pessoas”, destaca o advogado que faz parte da PLMJ desde 1997.

A firma com sede na Avenida Fontes Pereira de Melo conta ainda com 24 associados coordenadores e 53 sócios, num total de 287 advogados.

Recomendadas

PremiumTransposição de diretiva põe em causa sigilo profissional dos advogados

Diploma que estabelece obrigação de reportar mecanismos fiscais internos e transfronteiriços à AT foi aprovado apesar de transpor dever de comunicar para os advogados se beneficiários não o fizerem.

Reforma compulsiva dá 3.770,81 euros mensais à juíza Fátima Galante

Desembargadora do Tribunal da Relação de Lisboa foi afastada pelo Conselho Superior de Magistratura na sequência do seu envolvimento com favorecimento a Luís Filipe Vieira investigado no âmbito da “Operação Lex”.

Ex-bastonário responde a críticas à situação financeira da Ordem dos Advogados: “Inverdades e incoerências”

“A situação financeira em que a OA se encontrava quando o atual Conselho Geral tomou posse é sólida, clara e transparente”, garante Guilherme Figueiredo, depois de o atual Conselho Geral dizer que foi confrontado com dívidas e gastos superiores aos que estavam no orçamento.
Comentários