PremiumPNI 2030 aguarda voto dos deputados

O novo plano de investimentos que o Governo levou ontem a Conselho de Ministros e quer aplicar entre 2021 e 2030 já está no Parlamento.

Foi ontem, dia 10 de janeiro, a Conselho de Ministros mas não foi aprovado. Seguiu para a Assembleia da República com a indicação de que é um ‘documento intercalar de trabalho’, ‘draft e confidencial, somente para efeitos de discussão’ e com o carimbo “não exaustivo/meramente ilustrativo”. É com todos estes cuidados que o Governo, em particular o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, está a lidar com o PNI – Plano Nacional de Investimentos 2030, numa semana bastante preenchida por anúncios de investimento em transportes, infraestruturas e mobilidade, desde o lançamento dos concursos para a aquisição de comboios para a CP, de expansão de rede do Metropolitano do Lisboa (do Rato para o Cais do Sodré) ou da assinatura do memorando de entendimento entre o Estado português e a ANA, detida pelos franceses da Vinci, para a construção do aeroporto complementar do Montijo e ampliação ao aeroporto da Portela (ver texto ao lado).

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Ásia e sustentabilidade: as lentes dos investidores em 2030, segundo a Allianz Global Investors

O “Investment Fórum 2019” da gestora de investimentos do grupo alemão Allianz, que se realizou em Frankfurt, concluiu ainda que a probabilidade de a guerra comercial continuar é significativa.

A sair do forno

Chamam-lhe o coração da cozinha e é por isso que o novo forno a vapor da AEG dará nova vida aos seus cozinhados. Um truque exclusivo dos profissionais, que agora está ao seu alcance.

Petrolífera Anadarko anuncia “oportunidade para várias gerações” em Moçambique

O projeto de exploração de gás natural na Área 1 da bacia do Rovuma é uma oportunidade para várias gerações de moçambicanos, referiu este terça-feira o presidente da petrolífera que lidera o investimento.
Comentários