Podem as bebidas açucaradas provocar cancro?

O estudo realizado por investigadores franceses concluiu que beber mais de 100 mililitros por dia de bebidas com açúcar aumenta o risco de desenvolver uma doença oncológica em 18%

As bebidas açucaradas, incluindo os sumos de fruta, podem aumentar o risco de cancro, segundo um estudo de cientistas franceses que foi publicado no ‘British Medical Journal’. Este mesmo estudo seguiu 100 mil indivíduos durante cinco anos, indica a BBC.

A equipa de cientistas da Universidade Sorbonne Paris Cité analisou os níveis de açúcar no sangue de cada indivíduo, ao longo do estudo, e revela agora que estes podem ser um dos culpados para o aparecimento de cancro. No entanto, apesar de já terem divulgado estas conclusões, admitem que a pesquisa está longe de terminar e querem apresentar mais provas concretas.

Mas o que conta como bebida açucarada? Estes estudiosos afirmam que estas se definem como bebidas que apresentam mais de 5% de açúcar no total da sua composição. Assim, incluem-se os sumos de fruta, mesmo que não tenham açúcar adicionado, refrigerantes, batidos, bebidas energéticas, chá e café que contenha açúcar.

O estudo concluiu que beber mais de 100 mililitros por dia aumenta o risco de desenvolver uma doença oncológica em 18%. Apesar de terem analisado as bebidas com zero calorias, estas foram das únicas que não apresentavam qualquer ligação com o aparecimento de tumores.

No estudo, por cada mil pessoas analisadas, surgiam 22 cancros. “No entanto, isto pressupõe que existe uma ligação causal genuína entre a ingestão de bebidas açucaradas e o desenvolvimento de cancro, mas ainda precisa de novas pesquisas”, afirmou Graham Wheeler, estudioso sénior do Centro de Pesquisa de Cancro do Reino Unido.

Do total de 2.193 cancros descobertos na pesquisa, 693 eram cancro da mama, 291 eram cancro da próstata e 166 eram cancros colorretais.

“Embora este estudo não ofereça uma resposta definitiva em relação ao açúcar e ao cancro, isto contribui para o quadro global da importância do atual esforço para reduzir nossa ingestão de açúcar”, sublinhou Amelia Lake, da Universidade de Teesside, acrescentando que “reduzir a quantidade de açúcar na nossa dieta é extremamente importante”.

Ler mais
Recomendadas

SNS faz 40 anos. Ana Jorge testemunhou revolução na saúde e em Portugal

Foi poucos meses antes da Revolução de Abril de 1974 que a ex-ministra da Saúde vestiu pela primeira vez a bata de médica. Faltavam ainda cinco anos para que nascesse o Serviço Nacional de Saúde e o cenário era dramático. Não havia serviços de saúde gratuitos e os cuidados eram incipientes.

Hospital Garcia da Horta: “Não é possível uma urgência médico cirúrgica não ter cirurgiões”, diz sindicato

Sindicato Independente dos Médicos reage a demissão de dez chefes de equipa de urgência do Hospital Garcia de Orta. E critica o facto de uma urgência médico cirúrgica não ter cirurgiões,  não ter a totalidade da equipa de pediatria com pediatras ou o número de obstetras escalados ser insuficiente.

Infarmed deteta falhas de fornecimento de medicamentos a farmácias

Em falha são anticoagulantes para prevenir AVC e colesterol.
Comentários