Polémico “imposto Tesla” pode chegar aos carros elétricos da Noruega

Medida consta das propostas de Orçamento do Estado norueguês para 2018. O governo quer aplicar um imposto único sobre todos os carros elétricos que pesem mais de duas toneladas. “É uma bomba fiscal”, diz-se na Noruega.

Os proprietários de automóveis elétricos da Noruega poderão enfrentar um novo desafio tributário, o chamado ‘Tesla tax’ (“imposto Tesla”), caso a proposta do executivo avance. O país que tem o maior número per capita de carros elétricos no mundo quer aproveitar a preferência da população para taxar alguns deles.

O governo quer aplicar um imposto único sobre todos os carros elétricos que pesem mais de duas toneladas, o que atingiria a marca Tesla e poderia aumentar os custos até 82.800 coroas norueguesas (cerca de 8.600 euros).

A medida em causa, que consta das propostas de Orçamento do Estado norueguês para 2018, está a gerar uma onda de críticas, com argumento de que o novo imposto vai prejudicar a posição da Noruega enquanto país pioneiro no que diz respeito aos veículos de emissão zero.

“Esta é uma bomba fiscal. Isto é jogar com todo o mercado de veículos elétricos. É um mau sinal que se manda e vai afetar os consumidores “, explicou ao Financial Times a secretária geral da Associação de Veículos Elétricos da Noruega, Christina Bu.

Para a porta-voz da entidade, ainda que se note um sucesso nos veículos elétricos, o mercado ainda era frágil. Um dos exemplos apresentados por Christina Bu ao jornal britânico foi da Dinamarca, que viu os benefícios fiscais serem cortados e assistiu, automaticamente, a uma queda nas vendas. “É muito cedo. Ninguém está a dizer que nunca vamos taxar veículos elétricos, mas o governo prometeu manter o regime igual até 2020”, acrescentou.

Recomendadas
Bruxelas investiga BMW, Daimler e grupo VW por suspeitas de cartel
O cartel “pode ter negado aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível para os fabricantes”, segundo a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.
Produção de automóveis ligeiros mais do que duplica até agosto
A ACAP diz que a informação estatística relativa aos oito primeiros meses de 2018 “confirma a importância que as exportações representam para o sector automóvel já que 96,4% dos veículos fabricados em Portugal têm como destino o mercado externo, o que, sublinhe-se, contribui de forma significativa para a balança comercial portuguesa”.
Tem carro a gasolina? Espere por amanhã para abastecer
O gasóleo manter-se-á inalterado nos 1,348 euros por litro. A gasolina irá descer entre os 0,5 e um cêntimo, refletindo as cotações médias dos combustíveis nos mercados internacionais, de acordo com fontes do setor contactadas pelo Jornal Económico.
Comentários