Polícia Judiciária detém suspeitos da morte do estudante em Bragança

Os cinco detidos serão presentes às autoridades para interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação. Luís Giovani Rodrigues faleceu no dia 31 de dezembro de 2019, após alegadamente ter sido espancado por dez indivíduos na cidade transmontana.

Cristina Bernardo

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta sexta-feira que deteve cinco suspeitos da morte do jovem cabo-verdiano Luís Giovani Rodrigues, que estudava no Instituto Politécnico de Bragança (IPB). A detenção ocorreu através do Departamento de Investigação Criminal de Vila Real da PJ, depois de várias diligências de investigação que têm sido feitas desde o dia 31 de dezembro de 2019.

Em comunicado, a PJ esclarece que ontem procedeu a buscas domiciliárias, inquirições e interrogatórios a várias pessoas e, na sequência desta ação, foram detidos cinco homens, com idades entre os 22 e os 35 anos, “tendo sido apreendidos elementos probatórios relevantes”.

Os detidos serão presentes às autoridades judiciárias para interrogatório e aplicação de medidas de coação. “A investigação tem vindo a ser conduzida em estreita articulação com o Ministério Publico de Bragança, que é titular do inquérito”, explicam ainda as autoridades policiais, numa nota divulgada esta manhã.

Luís Giovani dos Santos Rodrigues, de 21 anos e natural de Mosteiros (na ilha do Fogo), faleceu no último de 2019 no Hospital de Santo António, na cidade do Porto, depois de alegadamente ter sido espancado por dez indivíduos na cidade transmontana, a 21 de dezembro do ano passado. O jovem encontrava-se em Portugal desde outubro de 2019 para estudar Design de Jogos Digitais, no IPB.

Mais tarde, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde disse que acreditava na justiça portuguesa e que esperava que os “culpados” fossem “ severamente punidos”. Luís Filipe Tavares pretende que o processo se desenrole com celeridade para o “esclarecimento cabal” do caso, que classificou de um “crime bárbaro”.

Notícia atualizada às 10h32

Ler mais
Relacionadas

Embaixada de Cabo Verde quer clarificação “cabal” da morte de estudante em Bragança

O embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, pediu este sábado a clarificação “cabal” das circunstâncias da morte de um estudante cabo-verdiano após ferimentos graves sofridos numa agressão em Bragança, em 21 de dezembro.

Centenas de pessoas homenagearam no Terreiro do Paço estudante morto em Bragança

Centenas de pessoas juntaram-se este sábado no Terreiro do Paço, em Lisboa, numa vigília de homenagem ao estudante cabo-verdiano Luís Giovani, que foi agredido em Bragança e morreu a 31 de dezembro no hospital.

Livre repudia agressão a estudante cabo-verdiano que morreu em Bragança

Deputada do Livre presta ainda as condolências à família e amigos de Luís Giovani dos Santos Rodrigues e pede justiça. “A luta contra o ódio e o racismo é também a luta pelo reforço da democracia, não apenas enquanto sistema político, mas enquanto um bem a preservar em tempo de ameaças e manipulações ideológicas”, pode ler-se no comunicado.
Recomendadas

Exibição gratuita do filme “Os Dois Irmãos” começa hoje em Cabo Verde

A película adaptada da obra do escritor cabo-verdiano Germano Almeida, com produção portuguesa, vai ter entrada livre na sua estreia no Cine Praia, de 15 a 20 de fevereiro.

Parlamento de Cabo Verde vai indicar um dos membros do conselho de prevenção da corrupção

A possibilidade desta indicação foi aprovada na Comissão Especializada de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e Reforma do Estado cabo-verdiana.

PremiumVila Galé estuda abertura de hotéis em São Tomé, Cabo Verde e Espanha

O segundo maior grupo hoteleiro nacional tem uma lista recheada de novos projetos para Portugal e Brasil, mas quer abrir novas frentes internacionais.
Comentários