Politécnico de Leiria distinguido com Prémios da Formação Turística em Portugal

A Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Politécnico de Leiria esteve em destaque nos Hospitality Education Awards de 2020, com Nuno Almeida a receber o prémio de Melhor Carreira e três outras investigadoras premiadas.

Nuno Almeida, docente na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Politécnico de Leiria, foi agraciado com o prémio de Melhor Carreira, enquanto as investigadoras Patrícia Borges, Susana Mendes e Anabela Elias Almeida viram distinguido o seu projeto SMART FISH – Restauração Sustentável, que arrebatou o galardão de Melhor Projeto de Inovação e Desenvolvimento do ano.

“Este é um prémio extensível a todos aqueles que primam diariamente pela excelência da academia, investigando, elevando e transferindo conhecimento para a indústria do Turismo. Perante a crise pandémica que hoje enfrentamos, é importante relembrar aquilo que o passado já nos foi demonstrando, que o turismo é uma das indústrias com mais capacidade de resiliência, e tenho esperança que assim continuará a ser”, afirmou Nuno Almeida durante a entrega dos prémios.

O SMART FISH – Restauração Sustentável  utiliza como palavra de ordem a sustentabilidade e é um alerta para todos os consumidores e restaurantes. Patrícia Borges explica: “O nosso objetivo com o SMART FISH é alertar todos os consumidores e todos os que produzem refeições que há espécies do nosso mar que devem ser utilizadas em detrimento de outras. Peniche vai ser a cidade berço deste projeto, que nós esperamos que se espalhe por todo o país”.

Os Hospitality Education Awards, promovidos anualmente pela Associação Fórum Turismo, em colaboração com o Turismo de Portugal, Associação Nacional de Escolas Profissionais, Instituto de Emprego e Formação Profissional, Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com cursos na área do Turismo e Organização Mundial de Turismo, pretendem ser uma ponte entre o mundo académico e o mundo profissional.

Recomendadas

Associação sindical pede ao Governo que ensino passe a funcionar em regime não presencial

Associação Sindical de Professores Licenciados defende que durante o confinamento geral do país, as escolas se mantenham abertas apenas para os alunos cujos pais pertencem a serviços essenciais ou para quem não têm condições para continuar o ensino em casa.

SNESup quer acesso prioritário à vacina para professores do superior

Mariana Gaio Alves, presidente do Sindicato Nacional do Ensino Superior, adiantou ao Jornal Económico que vai apelar às autoridades de saúde para considerem os docentes prioritários, devido ao facto de não se encontrarem em teletrabalho.

Sindicato Independente de Professores e Educadores: “Não concordamos com a decisão de não fechar as escolas”

O SIPE diz que o Governo optou por um “confinamento parcial”, uma vez que dois milhões de crianças e jovens continuam a circular livremente e receia que os sacrifícios económicos, psicológicos e sociais dos portugueses “de nada sirvam”.
Comentários