Pompeo admite cimeira entre EUA e Coreia do Norte ainda este ano

“Da nossa parte, continuamos com uma estratégia de diálogo e de aproximação. Acreditamos na via diplomática para ultrapassar obstáculos”, disse Pompeo.

O chefe da diplomacia dos EUA admitiu hoje a hipótese de uma cimeira entre o Presidente Donald Trump e o seu homólogo da Coreia do Norte, Kim Jong-un, ainda antes das eleições presidenciais de novembro.

Sem querer comentar questões de timing sobre uma eventual cimeira entre os dois países, Mike Pompeo disse hoje que os Estados Unidos continuam numa estratégia de “diálogo e aproximação” com a Coreia do Norte, embora reconhecendo as dificuldades diplomáticas.

Numa conferência telefónica com jornalistas estrangeiros, em que a Lusa participou, o secretário de Estado norte-americano mostrou-se apreensivo com a instabilidade na península coreana criada pela estratégia de isolamento de Pyongyang, que não abre mão do seu programa de testes com armas nucleares.

“Da nossa parte, continuamos com uma estratégia de diálogo e de aproximação. Acreditamos na via diplomática para ultrapassar obstáculos”, disse Pompeo, referindo-se às manifestações de hostilidade entre as duas Coreias, e não excluindo a possibilidade de uma cimeira, antes das eleições presidenciais norte-americanas, que se realizam a 3 de novembro.

Na terça-feira, um alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte disse que o seu país não tencionava retomar as negociações com os Estados Unidos e desvalorizou o papel da Coreia do Sul como mediador.

As negociações estão num impasse, após duas cimeiras entre Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em 2018 e 2019, em que a Coreia do Norte disse apenas aceitar uma renúncia parcial ao seu programa nuclear em troca do alívio imediato das sanções impostas pelo Washington – uma pretensão rejeitada pelo Presidente dos EUA.

Nas últimas semanas, vários analistas disseram que a Coreia do Norte evitará qualquer nova negociação com os Estados Unidos, preferindo continuar com a estratégia de pressão sobre a Coreia do Sul, procurando ganhar trunfos, para jogar em futuros entendimentos com os norte-americanos.

Outros analistas, referem que Pyongyang está a ganhar tempo, na expectativa de uma mudança de liderança na Casa Branca, após as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Hoje, Pompeo não excluiu a possibilidade de uma nova cimeira entre Trump e Kim Jong-un, embora sem se comprometer com um calendário para esse encontro.

“Não quero, por agora, comentar questões de timing. Mas posso dizer que estamos a estudar todas as possibilidades”, disse Pompeo, reconhecendo que o impasse diplomático está a provocar instabilidade na península coreana.

Ler mais
Recomendadas

Unicef estima que cerca de 100 mil crianças foram afectadas pela explosão em Beirute

A Unicef estimou este domingo que cerca de 100 mil crianças foram afetadas pelas explosões em Beirute de terça-feira, apesar de os números ainda serem “confusos”, e alertou para a urgência em ajudar a atenuar as necessidades mais imediatas das vítimas.

Secretário da Saúde dos EUA em Taiwan numa visita reprovada por Pequim

O secretário da Saúde norte-americano, Alex Azar, chegou hoje a Taipei, em Taiwan, onde ficará até quarta-feira, uma visita que tem agravado as tensões entre os Estados Unidos e a China.

Reino Unido regista oito mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou oito mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, em comparação com 55 do período anterior, elevando para um total de 46.574 as mortes devido à doença desde o início da pandemia, anunciou hoje o governo britânico.
Comentários