Porque as ‘startups’ escolhem a nuvem

As ‘startups’ tiram partido das vantagens oferecidas pela nuvem, conscientes de que a segurança não pode ser uma reflexão tardia, mas antes o pilar de toda a plataforma de serviços e infraestrutura.

A nuvem revolucionou o modo de funcionamento das empresas, especialmente quando falamos de startups. Atualmente é invulgar encontrar uma startup que não seja nativa na nuvem; a maioria escolheu adotar uma infraestrutura em nuvem desde o início. Empresas como a Monzo, Airbnb e Lyft conseguiram crescer e inovar rapidamente, sustentadas pela sua infraestrutura de nuvem segura, ágil e flexível.

As startups têm uma abordagem distinta quanto à nuvem e, mais importante, quanto à segurança, quando comparadas com as grandes e tradicionais organizações que ainda se debatem para conjugar as novas capacidades com os sistemas legados. Para dar vida às suas ideias e escalar rapidamente, as startups tiram partido dos inúmeros benefícios e vantagens oferecidos pela nuvem, conscientes de que a segurança não pode ser uma reflexão tardia, mas antes o pilar de toda a plataforma de serviços e infraestrutura.

Investimentos inteligentes

Quando se inicia um negócio, a gestão de custos é crítica. Por isso os investimentos que oferecem o maior valor e retorno sobre o investimento (ROI) possíveis são fundamentais, pelo que as startups só pagam os serviços que utilizam. Esta abordagem não só permite que evitem as grandes despesas iniciais de uma infraestrutura própria como façam uma gestão da área TI a um custo inferior, por comparação aos ambientes on-premises.

No entanto, baixo custo não é sinónimo de funcionalidades limitadas. Pelo contrário, uma startup que opere na infraestrutura de nuvem tem acesso aos mesmos serviços e recursos que os grandes clientes empresariais ou governamentais. Este investimento inclui equipas inteiras dedicadas à segurança, com mais de 13 anos de experiência, que respondem às necessidades de segurança e compliance das organizações mais sensíveis ao risco. Tal permite que possam competir num campo de atuação equilibrado, inovando rapidamente e colocando produtos no mercado, conscientes de que têm uma segurança de nível mundial que as protege contra as ameaças mais prevalecentes.

Dimensão

As startups são ambiciosas, tenazes e sedentas de crescimento, por isso optar por construir e escalar os seus negócios na nuvem é uma escolha natural. Ao adotar a nuvem, as startups podem adaptar-se rapidamente, ao adquirirem a capacidade para adicionar ou remover recursos de forma a responder às crescentes exigências dos negócios, consoante as necessidades. Em vez de investirem em centros de dados, servidores e acordos de nível de serviços, a nuvem permite às startups reagirem de forma mais rápida e flexível, experimentando, inovando e servindo melhor os seus clientes. A AWS tem uma plataforma de nuvem global mais completa, oferecendo cerca de 165 serviços funcionais a partir de centro de dados globais, de forma a que as startups se possam globalizar numa questão de cliques e suportar quaisquer planos de expansão.

Velocidade e Agilidade

As plataformas de nuvem permitem às startups otimizarem os sistemas de TI existentes e aumentar as eficiências operacionais, impulsionando em simultâneo a agilidade e crescimento do negócio. Tal é conseguido ao permitir que as empresas diminuam significativamente o tempo necessário para aprovisionar ou reduzir a sua infraestrutura de TI. Ao passo que num servidor físico adquirir e aprovisionar pode demorar semanas ou meses, num servidor em nuvem demora apenas alguns minutos. Além disso, a nuvem suporta o ritmo cada vez mais célere do desenvolvimento de produtos e a necessidade de os colocar rapidamente no mercado, usando os serviços que a AWS oferece. As startups caracterizam-se pela velocidade e agilidade e acreditamos que é exatamente isso que a nuvem oferece.

Segurança

A segurança tem de ser a principal prioridade de uma empresa, independentemente da sua dimensão. No entanto, recentemente a empresa Business in the Community descobriu que um terço das pequenas empresas no Reino Unido não tem estratégias de cibersegurança e mais de três quartos das organizações afirmam não ter uma política para controlar o acesso aos seus dados. Uma falha de segurança pode afetar as startups, prejudicando a sua reputação e base de clientes. Mas também pode ter repercussões nas organizações maiores, às quais estes negócios estejam associados.

A segurança tem de ser integrada e construída a partir do zero para que as startups possam assegurar que não são o elo mais fraco da cadeia de fornecimento. Uma das vantagens da nuvem é que permite aos clientes escalar e inovar, enquanto mantêm um ambiente seguro. Os clientes da nuvem pagam apenas os serviços que utilizam, o que significa que podem ter a segurança de que necessitam, mas sem as despesas iniciais, e a um custo inferior ao do ambiente on-premises.

Automatização de Segurança

Para as startups, o tempo é precioso e a automatização de tarefas de segurança permite que estas sejam mais seguras, ao reduzir os erros humanos de configuração e libertando simultaneamente as equipas para a realização de outras tarefas cruciais para o negócio. A automatização também pode oferecer uma abordagem mais inteligente para detetar potenciais ameaças, através da sua capacidade de monitorizar padrões de comportamento; ser capaz de identificar alterações no comportamento significa identificar e resolver de imediato potenciais ataques que possam ocorrer.

A aplicação de machine learning e lógica matemática à segurança também permite que as plataformas em nuvem façam uma gestão proativa de tarefas, incluindo avaliações de segurança, deteção de ameaças e gestão de políticas. Estamos comprometidos em ajudar os clientes a alcançar os mais elevados níveis de segurança na nuvem. Através da utilização de raciocínio automatizado e da aplicação de lógica matemática para ajudar a responder a questões críticas sobre a infraestrutura, a AWS é capaz de detetar grupos inteiros de configurações incorretas que, potencialmente, podem expor dados vulneráveis.

Desde a primeira etapa, as startups devem escolher um fornecedor de nuvem, cuja arquitetura de rede esteja concebida para responder aos requisitos das organizações de todo o mundo mais sensíveis à segurança. Acreditamos que as startups são uma enorme força motriz para a inovação. No entanto, tal não é possível sem um fornecedor de nuvem que as possa suportar e acompanhar, à medida que crescem, permitindo-lhes manter os dados em segurança e protegendo-as de ataques maliciosos. Ao ter uma opção nativa em nuvem e colocando a segurança no centro, as startups podem concentrar-se em inovar e revolucionar a indústria, cientes de que a sua plataforma em nuvem é tão ágil, segura e dinâmica quanto elas mesmas.

Recomendadas

Google apoia portuguesa Barkyn como startup em crescimento

“Durante estes dois meses vamos estar rodeados pelos maiores peritos digitais da Google, o que terá certamente um enorme impacto na afirmação da Barkyn como startup líder do espaço pet na Europa”, garantiu um dos responsáveis da Barkyn.

Investidores, académicos e startups de impacto reúnem-se em Lisboa por um futuro mais sustentável

A capital portuguesa recebe entre 23 e 25 de abril de 2020 o evento “Planetiers World Gathering”, que pretende ser uma mostra de soluções sustentáveis em várias indústrias.

Vai à Web Summit? Pode deixar moedas e notas em casa

A SIBS e a empresa-mãe da Web Summit renovaram a parceria pelo terceiro ano consecutivo.
Comentários