Porque se tornou polémica a mudança de nome do Pavilhão Rosa Mota?

A reabertura do pavilhão Rosa Mota está envolto em controvérsia após a antiga atleta assumir que se sente enganada pela Câmara Municipal do Porto, na questão relacionada com o nome do espaço, que ficará também associado a uma bebida alcoólica.

Qual a razão da revolta de Rosa Mota?

A atleta olímpica diz sentir-se “enganada” e refere que o seu nome foi subalternizado para ser dado destaque a uma marca de bebidas alcoólicas (Super Bock). Rosa Mota escreveu mesmo uma carta à Câmara Municipal do Porto na qual indica que “não dou a minha anuência a algo que parece estar definitivamente estabelecido e que não foi o que foi acordado”.

Rosa Mota assume que estava convencida de que o nome seria “Pavilhão Rosa Mota – Super Bock Arena”. “Quando recebi o convite do senhor presidente da Câmara para a reabertura do Pavilhão, e no qual está escrito “Super Bock Arena Pavilhão Rosa Mota” senti-me definitiva e claramente enganada”.

O que diz a Câmara Municipal do Porto?

A Câmara Municipal do Porto emitiu um comunicado onde declara que o nome de Rosa Mota “está mais do que nunca protegido” dizendo não compreender “que alguém se possa considerar mais respeitado dando nome a um edifício em pré-ruína e sem uso, do que num moderno centro de congressos onde a sua designação está claramente inscrita”.

Quando reabre o pavilhão Rosa Mota?

O espaço vai reabrir ao público esta segunda-feira, depois de ter estado em obras que arrancaram no final de 2017. O projeto resulta de um investimento de oito milhões de euros por parte do consórcio constituído pelas empresas Lucios e PEV Entertainment – que venceu o concurso público internacional lançado pela Câmara Municipal do Porto, em 2014.

Onde fica localizado o pavilhão Rosa Mota?

O pavilhão Rosa Mota fica situado nos Jardins do Palácio de Cristal, foi construído no início dos anos 50 do século XX, após demolição do edifício original. Em 1952, ainda com a abóbada incompleta, e já com o nome de Pavilhão dos Desportos, foi o palco do campeonato do mundo de hóquei em patins. Em 1991, em homenagem aos feitos alcançados pela atleta portuense, alterou o seu nome para pavilhão Rosa Mota.

Quem não vai estar presente na cerimónia?

Como forma de protesto Rosa Mota já disse que não estará presente na cerimónia de reabertura do pavilhão. Esta situação também caiu mal em Belém, de tal forma que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que estava convidado para a cerimónia de reabertura decidiu não estar presente. Oficialmente, a Presidência da República justificou a ausência de Marcelo Rebelo de Sousa com a necessidade de fazer exames médicos.

O que disse Marcelo Rebelo de Sousa sobre Rosa Mota?

No passado dia 8 de outubro, o Presidente da República interrompeu as audições dos partidos com assento parlamentar para inaugurar o programa desportistas no Palácio de Belém juntamente com Rosa Mota que considerou ser mais “importante do que todos os governos ou presidentes”.

“A Rosa Mota é mais importante do que todos os governos ou presidentes de Portugal”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, numa curta intervenção no programa desportistas no Palácio, que contou antiga campeã olímpica da maratona como oradora.

Ler mais
Relacionadas

Em causa o nome do pavilhão: Rosa Mota diz-se “enganada” pela Câmara Municipal do Porto

A atleta está indignada com o facto de o pavilhão em sua honra no Palácio de Cristal, ir receber o nome do patrocinador das obras no espaço, a marca de cervejas Super Bock. Câmara diz que o nome de Rosa Mota “nunca esteve tão protegido”.
Recomendadas

Respostas Rápidas: O que são as ‘Eurobonds’?

A emissão de dívida europeia comum esteve em discussão durante a crise das dívidas soberanas e voltou a ganhar força depois do primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, ter levantado no Conselho Europeu novamente a possibilidade. A ideia é uma mutualização da dívida fazer parte do esforço para mitigar o impacto económico do novo coronavírus.

Respostas rápidas: Quais os apoios para as empresas durante a crise do Covid-19?

Governo anunciou um pacote de medidas de apoio às empresas. Têm um “caráter extraordinário, temporário e transitório” e destinam-se quer aos trabalhadores, quer aos empregadores afetados pelo surto do vírus Covid-19.

Questões-chave para perceber a discussão sobre a eutanásia

A despenalização da eutanásia dividiu os partidos representados na Assembleia da República e a sociedade civil, com a Ordem dos Médicos e a dos Enfermeiros a rejeitarem a medida.
Comentários