Porto de Leixões investe 13,5 milhões de euros em rebocadores de 70 toneladas de força de tração

Estes novos rebocadores vão substituir outros dois com mais de 40 anos e estão em linha com a estratégia de descarbonização que a administração portuária tem vindo a desenvolver nos portos sob sua jurisdição.

O Porto de Leixões lançou um concurso internacional para a aquisição de dois rebocadores de 70 toneladas de força de tração.

De acordo com a nota oficial, divulgada esta quinta-feira, o investimento de 13,5 milhões de euros, vai dotar o Porto de Leixões de equipamentos inovadores, permitindo que a infraestrutura portuária possa servir navios de maior dimensão.

Este investimento surge como necessidade para responder ao aumento da dimensão média dos navios, que cresceram 77% entre 2006 e 2018 e obrigam a uma maior força de tração para a realização em segurança das manobras das embarcações que escalam o Porto de Leixões.

Estes novo rebocadores vão substituir outros dois com mais de 40 anos e vai em linha com a estratégia de descarbonização que a administração portuária tem vindo a desenvolver nos portos sob sua jurisdição. Uma vez que se tratam de rebocadores de nova geração, mais seguros e menos poluentes, estes contribuem para a redução da pegada ambiental da atividade portuária.

“Os investimentos previstos, nomeadamente o prolongamento do quebra-mar e a melhoria das acessibilidades marítimas ao porto, vão permitir que Leixões continue a dar resposta à procura e possa receber, em segurança, navios de maior dimensão, o que exige uma maior força de tração e a consequente renovação dos rebocadores”, salienta Nuno Araújo, presidente da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo.

Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários