Porto de Setúbal diz que estão criadas as condições para avançar com as dragagens

Após uma reunião com a comissão eventual da Assembleia Municipal de Setúbal, a APSS considera que estão criadas “as condições para avançar com os trabalhos de dragagem”.

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e de Sesimbra considera que estão criadas as condições para avançar com as dragagens, um processo que tem gerado alguma polémica.

Essa conclusão na sequência de uma reunião que teve lugar na semana passada, no passado dia 16 de outubro, com a Comissão Eventual da Assembleia Municipal de Setúbal para o acompanhamento do projeto da ‘Melhoria das Acessibilidades Marítimas ao Porto de Setúbal’.

“A APSS, representada pelo seu conselho de administração, técnicos dos diferentes serviços envolvidos no projeto e por consultores responsáveis pela elaboração dos estudos e da monitorização nas áreas dos valores ecológicos, teve oportunidade de fazer um ponto de situação do projeto e dos trabalhos em curso”, esclarece um comunicado divulgado hoje, dia 21 de outubro.

“Foi esclarecido que os trabalhos relativos à primeira fase do projeto (montagem do estaleiro, eliminação do Bico da Parvoiça e enrocamento) decorreram dentro da normalidade encontrando-se praticamente concluídos, tendo permitido criar as condições para avançar com os trabalhos de dragagem”, defende o referido comunicado.

A APSS garante que, na reunião em causa, “foram respondidas todas as questões técnicas colocadas pelos deputados municipais dos diferentes partidos políticos representados na Assembleia Municipal, nomeadamente no que diz respeito à realização dos estudos previstos na Declaração de Impacte Ambiental, à monitorização ambiental antes, durante e após a realização das dragagens, à avaliação da qualidade dos sedimentos, bem como no que se refere à deposição dos dragados nos locais considerados no projeto”.

“A reunião decorreu de forma muito positiva, com esclarecimento de ambas as partes e enquadra-se na estratégia de transparência e esclarecimento da opinião pública prosseguida desde o início pela APSS, sobre um projeto que se considera estruturante e indispensável para a economia da região, da cidade e do porto de Setúbal”, acrescenta o comunicado.

De acordo com a APSS, “a melhoria das acessibilidades marítimas ao porto de Setúbal, a par de outros projetos em curso como a melhoria dos acessos ferroviários ao porto de Setúbal e o desenvolvimento da JUL – Janela Única Logística, permitirão promover a intermodalidade e aumentar as mercadorias transportadas por comboio no porto de Setúbal”.

Recorde-se que o projeto das dragagens do porto de Setúbal tem gerado forte contestação por parte de diversas organizações, incluindo o Grupo Pestana.

Ler mais
Recomendadas

Vendas da Ibersol subiram 6,1% até setembro, mas lucros caíram 27%

Incluindo o efeito do aumento do salário mínimo, os custos com pessoal aumentaram 9,3% no período em análise.

CMVM aceitou um pedido de elisão de presunção de atuação concertada que tinha sido remetido pela Cofina

O pedido de elisão da presunção está previsto no número 5 do artigo 20º do Cód.VM e que prevê a possibilidade de uma sociedade “beneficiar da derrogação de imputação agregada de direitos de voto”. Em causa está o acordo da Cofina com a Prisa, atual acionista controlador da Media Capital para que os espanhóis lhe vendam as ações representativas de 94,69% do capital.

Ministério do Mar e associações de pescadores discutem abate de barcos

Ricardo Serrão Santos reuniu-se esta manhã com responsáveis de 14 associações nacionais de pesca, que alertaram o governante para a existência de embarcações obsoletas na frota pesqueira portuguesa quer devem ir para abate.
Comentários