Porto de Sines entre os maiores da União Europeia

Os portos de Roterdão (Holanda), de Antuérpia (Bélgica) e Hamburgo (Alemanha) lideram o ranking dos maiores portos europeus.

O Porto de Sines é o 20º maior da União Europeia (UE) em peso bruto de mercadorias movimentadas. Aquele que é o primeiro maior porto artificial de Portugal e de águas profundas movimentou 46,473 milhões de toneladas em 2017, posicionando-se numa tabela liderada pelos portos de Roterdão (Holanda), de Antuérpia (Bélgica) e Hamburgo (Alemanha), a tripla da costa do Mar do Norte que faz o pódio em termos de peso bruto das mercadorias como em volume de contentores.

Os números, divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat, mostram que o porto nacional contribuiu para os 3.961,164 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas pelos portos da União Europeia. Ainda assim, o Porto de Sines viu essa quantidade cair cerca de dois milhões de toneladas entre 2016 e 2017.

De acordo com o organismo de estatística europeu, os 20 maiores portos de carga da UE representaram cerca de 39% das toneladas totais de mercadorias movimentadas nos principais portos dos países inquiridos em 2017 (últimos dados disponíveis), o que significa um ligeiro decréscimo em comparação com o período homólogo. Deste ranking, dez estavam localizados no Mediterrâneo, oito na costa do Mar do Norte da Europa e os dois na costa do Atlântico.

“A composição da infraestrutura portuária nacional determinará, por vezes, se um país está representado na lista ou não. Por exemplo, a Dinamarca e a Finlândia são países com um grande número de portos de porte médio, lidando com volumes de mercadorias inferiores às 46 milhões de toneladas anuais exigidas para fazer parte dela”, esclarece ainda o Eurostat, na nota publicada esta manhã.

Fonte: Eurostat

A movimentação de mercadorias contentorizadas entre o porto de Sines e os diversos portos chineses cresceram cerca de 20% (19,7%) entre 2015 e o ano passado. Segundo dados a que o Jornal Económico teve acesso, no total de cargas e descargas entre o porto de Sines e os portos da República Popular da China passaram de 89.669 TEU (medida-padrão equivalente a contentores com 20 pés de comprimento), em 2015, para 107.322 TEU no ano passado.  Esse crescimento foi mais visível nas descargas, ou seja nos produtos oriundos da China, que passaram de 74.937 TEU para 103.795 TEU.

Porto de Sines prevê investimento de 1.330 milhões de euros

Ler mais
Recomendadas

Setor de comércio e serviços pede prolongamento do layoff e perdão de rendas

A CCP também aponta que a exigência de certidões de não dívida não faz sentido neste momento em que as empresas enfrentam dificuldades, defendendo que deixe de constituir condição para a “candidatura a qualquer concurso público”.

CFP alerta para impacto “desconhecido” no capital do Novo Banco da litigância com o Fundo de Resolução

No relatório “Perspetivas económicas e orçamentais 2020-2022”, o CFP diz que “existe um risco adicional para as finanças públicas caso o rácio de capital total do Novo Banco se situe abaixo do requisito estabelecido pelas autoridades de supervisão”. Nesta situação, o Estado Português poderá ter de disponibilizar fundos adicionais de forma a que o banco cumpra os requisitos regulatórios. É a chamada Capital Backstop que foi autorizada por Bruxelas para casos “extremos”. O CFP alerta para incógnita sobre o impacto no capital do banco do diferendo na contabilização das IFRS 9.

Extensão das moratórias até 31 de março de 2021 vai hoje a Conselho de Ministros

Proposta das Finanças prevê extensão das moratórias públicas até março de 2021 e o alargar os créditos que poderão beneficiar do regime, como créditos para segunda casa e crédito ao consumo para financiar educação.
Comentários