Porto vai acolher processos internacionais de conflito

Processos do Tribunal Permanente de Arbitragem vão ser dirimidos no Palácio da Bolsa. O Tribunal foi criado na primeira Conferência de Haia pela Convenção para a Solução Pacífica de Conflitos Internacionais de 1899.

O Instituto de Arbitragem Comercial vai celebrar um protocolo de cooperação com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, para o acolhimento de procedimentos do Tribunal Permanente de Arbitragem (TPA). A assinatura decorre a 17 de setembro, na Sala do Tribunal do Palácio da Bolsa – onde estarão Nuno Botelho, presidente da Associação Comercial do Porto, e Álvaro Mendonça e Moura, secretário-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O TPA foi criado na primeira Conferência de Haia pela Convenção para a Solução Pacífica de Conflitos Internacionais de 1899. Portugal é membro desde 1900. O Governo português estabeleceu um acordo de sede não permanente deste tribunal, permitindo desta forma a Portugal albergar processos de arbitragem internacional sob os auspícios do TPA.

O acordo permite que conflitos internacionais entre Estados ou entre Estados e entidades privadas possam ser resolvidos no Porto, no Instituto de Arbitragem Comercial, com sede no Palácio da Bolsa.

“Considerando a importância para Portugal e para a cidade do Porto em receber arbitragens internacionais, reforçando assim a imagem internacional do país como centro de resolução de litígios internacionais e o reconhecido valor da Associação Comercial do Porto e do Instituto de Arbitragem Comercial em Portugal, entendeu o Ministério dos Negócios Estrangeiros estabelecer este protocolo”, refere comunicado oficial.

Recomendadas

Pedro Marques diz que obras na Ponte 25 de Abril vão começar “em breve”

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse hoje que as obras na Ponte 25 de Abril “começarão em breve, porventura talvez ainda antes do final deste ano”, estando a aguardar o visto do Tribunal de Contas.

PSD junta-se à esquerda para chumbar decreto da contagem parcial do tempo de serviço dos professores

O Partido Comunista (PCP), Bloco de Esquerda (BE) e o PSD consideram que contar apenas dois dos nove anos de carreira congelados é insuficiente e querem rever a medida no Parlamento

Marques Mendes: “Se Bruno de Carvalho estiver envolvido, o Sporting arrisca a não receber nada pelas rescisões dos jogadores”

“Eu diria que essa [detenção] é uma má notícia para o Sporting. Por causa das rescisões de contratos daqueles jogadores que ainda não chegaram a acordo com o Sporting: Gelson Martins, Podence e Rafael Leão. Pois legítima os despedimentos por justa causa e o clube de Alvalade não recebe um único euro”. Sobre o caso Silvano disse que “o Parlamento precisa de uma Comissão de Ética”.
Comentários