PortoBay e ISCTE criam prémio Paquete Oliveira

Prémio anual visa homenagear o jornalista e sociólogo madeirense pioneiro de estudos dos media em Portugal.

O Grupo PortoBay  e o Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE) decidiram criar, já para este ano letivo, o  prémio Paquete de Oliveira, numa homenagem ao jornalista  e sociólogo madeirense pioneiro de estudos dos media em Portugal.

A partir deste ano letivo,  a melhor tese de mestrado em Ciências de Comunicação será distinguida com este prémio anual, segundo estabelece o protocolo de cooperação assinado esta semana, em Lisboa, por Maria de Lurdes Rodrigues, reitora do ISCTE, e Bernardo Trindade, administrador do grupo PortoBay.

“O nosso objetivo é prestar homenagem a José Manuel Paquete de Oliveira que, enquanto professor e jornalista, muito se distinguiu na defesa das Ciências da Comunicação, da transparência e neutralidade nas informações e no respeito aos cidadãos e à democracia”, informou o grupo hoteleiro madeirense.

José Manuel Paquete de Oliveira faleceu em 2016, aos 79 anos. Foi diretor do Diário de Notícias da Madeira, provedor do leitor do Público e provedor do telespectador da RTP.

Recomendadas

PSD diz que a Madeira “pode orgulhar-se” de ser a primeira no País a avançar com estatuto do cuidador informal

João Paulo Marques diz que a proposta “prova” que o Governo Regional tem a intervenção e o apoio social como áreas prioritárias de governação, “não só apoiando quem mais precisa, mas, com o estatuto do cuidador informal, cuidando de quem cuida e dando condições para que os familiares possam cuidar dos seus doentes em casa, que é onde deles precisam e onde merecem estar”.

Madeira espera subida para 40% na produção de eletricidade através de energia renovável

Esta produção deve subir com a construção da barragem do Paul da Serra e no Túnel do Pedregal.

Greve da função pública fecha escolas na Madeira

A Educação e a Saúde são os setores mais afetados pela greve na Madeira. Ricardo Gouveia, do Sindicato de Trabalhadores da Função Pública da RAM, refere que estes são os serviços onde há mais falta de recursos humanos e carência de pessoal. Quanto aos Hospitais da Região, o Sindicato diz que a adesão anda à volta dos 75%.
Comentários