Portos da Madeira ponderam descer taxas portuárias

Número de passageiros e cruzeiros no Funchal tem diminuído, em consequência do reposicionamento de navios em mercados emergentes.

A quebra registada, nos últimos três anos, no número de navios cruzeiro e de passageiros pode vir a justificar uma descida das taxas portuárias no porto do Funchal.

Patrícia Bairrada, gestora comercial da Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira (APRAM), admitiu, esta quarta-feira, que o número de escalas no porto do Funchal tem caído, em consequência do novo perfil de passageiros e do reposicionamento de navios em mercados emergentes como o asiático.

A gestora comercial avança que estão a ser tomadas medidas para recuperar, entre 5 a 6 anos, as perdas registadas e que isso deve levar a uma agilização ao nível do tarifário como incentivo à procura pela Região.

Não obstante a atual conjuntura, Patrícia Bairrada considera que as perspetivas para os próximos anos são positivas, já que a construção de novos navios deverá reposicionar, em 2022, mais cruzeiros para a Região.

Recomendadas

Madeira: Dívida bruta da Administração Pública Regional aumenta para 4,8 mil milhões de euros

Já no que diz respeito ao período homólogo verificou-se um decréscimo de cerca de 81 milhões de euros (menos 1,7%).

Taxa do crédito habitação cresce na Madeira

Em agosto o montante em dívida no crédito habitação era de 57.809 euros.

Madeira apresenta crescimento no número de edifícios e alojamentos

Em 2019 a Madeira tinha 93.316 edifícios e 131.483 alojamentos.
Comentários