Portuense Firmo compra 33 lojas da Staples em Portugal (com áudio)

A norte-americana Staples entrou no mercado português em 1996 com a abertura de uma loja em Alfragide e conta atualmente com 33 lojas no país.

A Firmo Papéis e Papelarias comprou o negócio da Staples em Portugal, que conta com 33 lojas em todo o país. A operação foi notificada à Autoridade da Concorrência (AdC) que se encontra agora a analisá-la.

“A operação de concentração em causa consiste na aquisição, pela Firmo, Papéis e Papelarias, S.A. (“Firmo”), do controlo exclusivo da Staples Portugal – Equipamento de Escritório, S.A. e da Staples Delivery, S.A. (em conjunto, “Staples”)”, segundo o comunicado da AdC.

A Firmo é uma empresa sediada no Porto, fundada em 1951 pela família Santos Carvalho, e que conta com mais de 65 de operação no comércio de artigos escolares, de papelaria e escritório.

A norte-americana Staples entrou no mercado português em 1996 com a abertura de uma loja em Alfragide, com cerca de 56 mil metros quadrados de área de vendas nas suas 33 lojas.

A Staples é detida pela gestora de fundo Cerberus que já tinha indicado em março que queria vender o seu negócio em Portugal, conforme noticiou o Jornal de Negócios a 19 de março.

Ler mais
Recomendadas

Projeto de lítio para a mina do Barroso entra em consulta pública

Caso não haja atrasos, a concessionária Savannah prevê receber a DIA em agosto de 2021. Dependente dos resultados do EIA, a construção deve iniciar-se em 2022, prevendo-se alcançar a produção comercial em 2023.

Novo Banco: Luís Filipe Vieira pede adiamento de audição devido a consulta médica

De acordo com o presidente da Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, Fernando Negrão (PSD), Luís Filipe Vieira “pediu que a audição fosse adiada para uma data posterior a uma consulta que tem”.

Novo Banco: José Eduardo dos Santos não respondeu a Cavaco Silva sobre BESA

O antigo presidente angolano José Eduardo dos Santos não respondeu a uma carta do antigo homólogo português, Aníbal Cavaco Silva, acerca da situação do BES Angola (BESA), segundo respostas enviadas à comissão de inquérito ao Novo Banco.
Comentários