Ouro branco: Portugal tem a sexta maior reserva de lítio a nível mundial

Portugal poderá ser ultrapassado nos próximos anos por outros países à medida que são descobertas novas reservas um pouco por todo o mundo. O Chile é o país com as maiores reservas mundiais, mas a Austrália é o país onde se produz mais ouro branco.

Extração de Lítio

Portugal conta com a sexta maior reserva mundial de lítio entre os nove países que produzem atualmente lítio, segundo um relatório elaborado pelo Governo norte-americano.

O ‘ouro branco’ volta a estar na ordem do dia em Portugal, num momento em que se aproxima a data-limite estipulada pelo Governo, o final deste ano, para lançar um concurso internacional de concessões para a exploração de lítio em larga escala em Portugal.

A liderar a lista de reservas mundiais está o Chile (oito milhões de toneladas), cujo lítio é de elevada qualidade e barato de produzir. Segue-se a Austrália (2,7 milhões) e a Argentina (2 milhões). Portugal surge na sexta posição, com 60 mil toneladas.

Mas Portugal poderá vir a recuar na posição das maiores reservas mundiais nos próximos anos, à medida que vários países começam a conhecer melhor o potencial de lítio que jaz nos seus subsolos.

O estudo realizado pelo governo norte-americano distingue entre recursos minerais e reservas. O primeiro, o valor bruto, significa que existe minério em quantidade que faz com que a sua extração seja potencialmente viável. O segundo, o valor líquido, indica a quantidade de minério que pode ser extraído ou produzido.

Em termos de recurso mineral, Portugal surge na 14ª posição a nível mundial. Dos cerca de 62 milhões de toneladas de reservas que existem no mundo, o país conta com um total de 130 mil toneladas, segundo a análise realizada pelo Governo norte-americano.

A Argentina lidera este ranking com um total de 14,8 milhões de toneladas, seguida pela Bolívia (nove milhões de toneladas) e pelo Chile (8,5 milhões de toneladas). Portugal surge depois na 14ª posição, ex aequo com o Peru, com um total de 130 mil toneladas para cada país. A vizinha Espanha surge na 12ª posição com um total de 400 mil toneladas de reservas de lítio. Já o Brasil conta com 180 mil toneladas de lítio surgindo assim na 13ª posição.

Em termos de produção, Portugal ocupa a sexta posição entre os nove países produtores, com um total de 800 toneladas métricas extraídas em 2018, valor semelhante ao registado em 2017.

A produção a nível mundial é liderada pela Austrália (51 mil toneladas métricas), seguida pelo Chile (16 mil) e pela China (8 mil).

Mas para que é serve o lítio extraído em Portugal? Este mineral é essencialmente usado para produzir cerâmica. Já a nível mundial, o lítio serve essencialmente para produzir: baterias (56%), cerâmica e vidro (23%), gorduras lubrificantes (6%), produção de polímeros (4%), entre outros usos.

O aumento da procura por lítio, devido à corrida ao carro elétrico, provocou uma subida na produção do “ouro branco”. A produção mundial de lítio em 2018 aumentou 23% para 85 mil toneladas métricas face ao ano anterior “em resposta ao aumento da procura de lítio para baterias”, de acordo com o Governo norte-americano. Entre 2017 e 2016, o aumento da produção mundial atingiu os 74%, devido principalmente ao contributo da produção na Austrália.

O consumo mundial de lítio em 2018 estava previsto ter atingido as 47,6 mil toneladas métricas, mais 20% face a 2017. A capacidade de produção anual a nível mundial está estimada em 91 mil toneladas de lítio.

A subida na procura também se refletiu nos preços nos mercados. Os preços do lítio nos grandes contratos atingiram os 17,3 mil dólares por tonelada métrica em 2018, mais 15% face a 2017.

“O consumo de lítio para baterias aumentou significativamente em anos recentes porque as baterias de lítio recarregáveis são usadas extensivamente no mercado crescente de aparelhos eletrónicos portáteis e estão a ser usados cada vez mais em ferramentas elétricas, veículos elétricos e aplicações de armazenamento em rede. Os minerais de lítio são usados diretamente como concentrados de minério em aplicações de cerâmica e vidro”, pode-se ler no relatório do Governo norte-americano.

A produção mundial de lítio em 2018 aumentou 23% para 85 mil toneladas métricas face ao ano anterior “em resposta ao aumento da procura de lítio para baterias”, de acordo com o Governo norte-americano.

Ler mais
Recomendadas

Sindicato dos Maquinistas critica falta de explicações da IP

Apesar das fortes críticas à IP, o SMAQ garante que se vai abster de fazer mais declarações sobre este assunto, preferindo aguardar, “serenamente, e confiante na competência do GPIAFF, pelo relatório final”.
cais do sodré, pink street

PME dizem que novas medidas do Governo “são de bradar aos céus”

“As últimas medidas anunciadas pelo Governo para as Micro, Pequenas e Médias Empresas são de bradar aos céus”, afirma em comunicado a CPPME, acrescentando que “a permissão para os bares noturnos e as discotecas poderem abrir das 08:00 às 20:00, em serviço de pastelaria, só pode ser uma brincadeira de mau gosto”.

Rede da Câmara de Comércio e Indústria retoma prospeção de mercados em setembro

Estão previstas missões empresariais à Sérvia, Marrocos, Polónia, Azerbaijão e Costa do Marfim,
Comentários