Portugal acredita estar perto do consenso com Espanha para nova interligação elétrica

O ministro do Ambiente e da Ação Climática disse querer acreditar que Portugal e Espanha estão “muito perto do consenso” para a construção de uma interligação elétrica no Alto Minho, que ligará a Península Ibérica ao centro da Europa.

Ministro do Ambiente e da Ação Climática| Foto de Cristina Bernardo

“A interligação no Alto Minho é da maior importância para [o projeto] poder avançar e quero acreditar que já estamos muito perto do consenso entre Portugal e Espanha”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, em entrevista à Lusa.

Em 2018, responsáveis de Portugal, Espanha e França comprometeram-se, numa cimeira em Lisboa, a ter “rapidamente” uma interligação elétrica a ligar os três países, num projeto que vai receber “o maior apoio financeiro europeu de sempre” dado a uma infraestrutura energética.

Este projeto envolve Portugal, Espanha e França e tinha o intuito de cumprir a meta europeia de 10% do nível de interligações elétricas até 2020, prevendo ligações entre Portugal e Espanha (pela Galiza) e Espanha e França (pelo Golfo da Biscaia e pelos Pirenéus).

“Espanha foi mesmo um problema na ligação do Alto Minho, […] porque, em Monção, andou a ‘dançar’ com o corredor para a esquerda e para a direita, quando já havia um corredor que estava definido e, por isso, neste momento, voltaram ao corredor inicial e o projeto tem todas as condições para se poder concretizar”, explicou o ministro com a pasta da energia.

“É verdade que existem os Pirenéus e isso torna muito mais difícil as interligações entre Espanha e França”, acrescentou.

Para o governante, a Europa tem necessidade de uma interligação elétrica entre a Península Ibérica e França, para poder usufruir de energia produzida a partir de fontes renováveis em Portugal, a preços mais baixos.

“Com eletricidade produzida a partir de fontes renováveis a muito mais baixo custo na Península Ibérica do que no centro da Europa, quem vai, afinal, acabar por querer e muito estas interligações é mesmo o centro da Europa, porque quanto menos interligações existirem mais protegido está o nosso sistema, no sentido de a eletricidade em Portugal ser muito mais barata do que no centro da Europa”, defendeu o ministro.

Matos Fernandes lembrou que quanto mais interligações houver, mais tendência haverá para que os preços da eletricidade dos vários países se igualizem.

“Essas interligações são da maior importância, mas, neste momento, não são menos importantes para Portugal do que para o centro da Europa, não tenho a mais pequena dúvida, senão a vantagem competitiva de Portugal e também de Espanha, para atrair indústrias, vai ser muito superior à dos países da Europa central”, acrescentou.

Relacionadas

Governo português “não perdeu o interesse” no cabo submarino para Marrocos

O Governo mantém o interesse na construção de um cabo submarino para transportar eletricidade entre Portugal e Marrocos, embora os prazos tenham sido ultrapassados devido a hesitações do lado marroquino, afirmou o ministro do Ambiente e da Ação Climática.

Matos Fernandes: fragmentação do H2Sines vai fazer “com que surjam mais projetos”

 O ministro do Ambiente desvaloriza a fragmentação do consórcio H2Sines, que reunia a EDP, Galp, Martifer, Vestas e REN, com o objetivo de implementar um ‘cluster’ de produção de hidrogénio verde, considerando que vai fazer “com que surjam mais projetos”.

Acionistas da central do Pego perderam direito ao ponto de injeção na rede, diz Governo

O ministro do Ambiente e da Ação Climática considera que os acionistas da central a carvão do Pego, em Abrantes, perderam o direito ao ponto de injeção à rede elétrica, que será atribuído por concurso público.

“Os recursos minerais não são de nenhum município, são do país todo”, diz ministro do Ambiente

O ministro do Ambiente considera que os “recursos minerais não são de nenhum município”, embora a nova lei das minas lhes dê poder de chumbar a maioria das propostas para exploração mineira, exceto as de interesse nacional, como o lítio.
Recomendadas

APA: Estado não concedeu qualquer novo direito na venda de barragens da EDP

Num esclarecimento a uma nota elaborada pelo BE, em que o partido apresenta conclusões sobre o negócio da venda de seis barragens pela EDP à Engie, a Agência Portuguesa do Ambiente refuta “por completo” a afirmação do partido de que o Estado tenha atribuído um novo direito ao concessionário das barragens, que não estava previsto.

Metade dos consumidores portugueses já compram produtos sustentáveis, revela estudo

Apesar do impacto da pandemia de Covid-19, 72% dos portugueses estão otimistas e acreditam que as empresas irão acelerar as medidas para a transição ecológica. Esta opinião é reforçada pelo facto de 80% de cidadãos considerarem que a pandemia acelerou a urgência destas medidas para evitar uma futura crise ambiental que poderá ter efeitos similares.

Sustentabilidade: presidente da APA sugere dia de teletrabalho semanal para limitar emissões de veículos

Nuno Lacasta participou na conferência Building a Connected Green Future, promovida pelo Jornal Económico e pela Huawei, está integrada na EU Green Week 2021, que será retransmitida através da plataforma multimédia JE TV, esta segunda-feira, 14 de junho, às 11h00.
Comentários