Portugal com menos 8.719 hectares de área ardida do que em 2018

O Governo sublinha que o ano de 2019 apresenta, até ao dia 31 de agosto, o segundo valor mais reduzido em número de incêndios e o segundo valor mais reduzido de área ardida desde 2009.

EPA/ANTIONIO JOSE

Os incêndios deste ano consumiram, até ao fim de agosto, 28.205 hectares, menos 8.719 do que em 2018, tendo-se registado 8.156 incêndios rurais, divulgou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

Em comunicado, o MAI sublinha que o ano de 2019 apresenta, até ao dia 31 de agosto, o segundo valor mais reduzido em número de incêndios e o segundo valor mais reduzido de área ardida desde 2009.

Segundo a nota, a base de dados nacional de incêndios rurais registou, até ao momento, um total de 8.156 incêndios rurais, que resultaram em 28.205 hectares de área ardida, traduzindo-se em menos 8.719 hectares de área ardida e menos 369 incêndios rurais face a 2018.

“Comparando os valores do ano de 2019 com o histórico dos últimos 10 anos, registaram-se menos 45% de incêndios rurais e menos 70% de área ardida”, destaca a nota do MAI.

A tutela refere ainda que o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais 2019 (DECIR) “está na sua máxima capacidade, contando com o maior número de operacionais de sempre”.

“Entre 01 de junho e 15 de outubro (Nível de Empenhamento IV), o DECIR conta com 11.492 operacionais, dos quais 5.729 são bombeiros, apoiados por 2.495 veículos”, apontam, acrescentando que o dispositivo deste ano foi incrementado com 82 novas Equipas de Intervenção Permanente dos Corpos de Bombeiros e com 132 militares.

“Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio florestal, o MAI apela para a “adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução na utilização do fogo em espaços rurais”.

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes: “Estado de Emergência deverá ser renovado, pelo menos, duas vezes”

Como o pico da Covid-19 se deverá dar mais tarde, em maio, Luís Marques Mendes acredita que o Estado de Emergência, que deverá ser renovado já esta semana, poderá vigorar com sucessivas prorrogações até ao início de maio. Dinheiro para as empresas que aderem ao ‘lay-off’ será transferido no dia 28 de cada mês.

Teletrabalho e benefícios não financeiros vão acelerar a médio prazo

Crise do coronavírus impôs disrupção nos benefícios extrassalariais este ano. Mas o futuro passa por aí, nomeadamente por um aumento da flexibilidade nas formas de trabalhar e nas compensações.

40 militares das GNR em operação stop na portagem dos Carvalhos em Gaia

Quarenta militares da GNR apoiados por 12 viaturas, três motorizadas e três brigadas cinotécnicas estão desde as 15:00 nas portagens dos Carvalhos, em Vila Nova de Gaia, a controlar os veículos que circulam no sentido Sul/Norte.
Comentários