Portugal é o terceiro país da UE com menor percentagem de jovens

“Retrato de Portugal na Europa”, lançado neste domingo pela Pordata, destaca posição relativa de Portugal em 11 áreas, da demografia aos indicadores macroeconómicos.

A terceira posição de Portugal entre os (até agora) 28 países da União Europeia no que toca à percentagem de jovens na população residente, ficando apenas à frente da Itália e da Alemanha, é um dos dados em destaque na publicação online “Retrato de Portugal na Europa”, lançada neste domingo pela Pordata para assinalar o Dia Europeu da Estatística.

Com os portugueses até aos 15 anos a representarem apenas 13,9% do total da população residente, nos antípodas dos 21% da República da Irlanda e acima da média comunitária de 15,6%, a publicação da entidade da Fundação Francisco Manuel dos Santos também realça que Portugal é o terceiro país mais envelhecido. Tem 21,3% de pessoas com 65 ou mais anos entre a população residente, tendo à frente apenas a Itália e a Grécia, enquanto a República da Irlanda volta a aparecer no outro extremo, com um peso de apenas 13,7% para os mais velhos.

Também se destaca por maus motivos a posição relativa de Portugal entre o conjunto de países da União Europeia no que toca à desigualdade na distribuição de rendimentos. Encontra-se no quinto lugar de um ranking liderado pela Bulgária, Lituânia e Letónia, com Espanha imediatamente acima de Portugal, sendo a desigualdade menor na Eslováquia, Eslovénia e República Checa.

Tratando-se do sétimo país da União Europeia com maior taxa de abandono escolar, o país com maior percentagem de trabalhadores por conta de outrem sem ensino secundário, e o terceiro país com maior percentagem de trabalhadores com contrato de trabalho temporário no total de população empregada, Portugal tem muitas outras particularidades detetadas na publicação elaborada pela Pordata, que abrange 11 áreas, desde a demografia à educação, saúde, proteção social, energia ou macroeconomia.

Nesse âmbito, Portugal também ocupa o último degrau do pódio num indicador nada positivo, sendo o terceiro país com maior rácio entre a dívida das Administrações Públicas e o produto interno bruto. Os 121,5% de Portugal ficam muito abaixo dos 181,1% da Grécia, mas bastante acima da média comunitária de 80,2%, “puxada” pelos valores extremamente baixos da Estónia (8,4%), Luxemburgo ou Bulgária.

Recomendadas

AICEP apresenta Acelerador das Exportações Online

A AICEP vai concentrar todo o seu trabalho de junho no objetivo fixado pelo Governo de promover as exportações. Na próxima terça-feira, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vai acompanhar a apresentação da nova ferramenta de Inteligência Artificial que é colocada ao serviço dos exportadores nacionais, o “Acelerador das Exportações Online”.

Bancos têm até hoje para enviar ao regulador planos de prevenção do branqueamento de capitais

Os bancos têm até hoje para enviarem ao Banco de Portugal os planos de financiamento e os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, depois dos prolongamentos dos prazos devido à covid-19. Numa situação normal, estes relatórios já deveriam ter sido enviados pelos bancos, mas o regulador e supervisor bancário anunciou a prorrogação dos prazos em abril, considerando que é de “particular importância” a qualidade da informação financeira e prudencial no atual contexto económico. O Banco de Portugal prolongou ainda, para 12 de junho, o reporte de informação financeira em base individual e o reporte de informação para fins de supervisão aplicável às sociedades financeiras, assim como a informação sobre empresas incluídas no perímetro de consolidação e sobre a evolução da carteira de crédito.

Proprietários tem até hoje para pagar primeira fase ou a totalidade do IMI

Os quase quatro milhões de contribuintes que receberam uma nota de liquidação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) têm até hoje para efetuar o pagamento da primeira prestação ou da totalidade do imposto.
Comentários